Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página

Portfólio de patentes

Biofilme de glicerol e seu uso como agente redutor da produção de micotoxinas em produtos de origem vegetal

A presente invenção descreve a utilização de soluções de glicerol para revestimento comestível de alimentos, preferencialmente grãos, por imersão, aspersão ou drageamento, para a proteção contra a produção de toxinas por microrganismos, particularmente fungos. Os biofilmes de glicerol, além de aumentarem o tempo de prateleira do produto, reduzem a contaminação por micotoxinas e o risco de intoxicação alimentar.

Titulares: UFT e UFMG
Inventores: Raphael Sanzio Pimenta; Jaques Robert Nicoli; Guilherme Prado; Marize Silva de Oliveira; Jovita Eugenia Gazzinelli Cruz Madeira; André Augusto Gomes Faraco.
Status: Pedido de INVENÇÃO depositado junto ao INPI
Nº do Pedido: BR 10 2012 033302-3.
Data do depósito: 27/12/2012.

Método de síntese de criolita a partir de lodo de estações de tratamento de água

A presente invenção descreve um método de síntese de hexafluoraluminato de sódio (criolita) a partir de lodo de estações de tratamento e de outros rejeitos aquosos ricos em alumínio. O processo envolve um tratamento térmico seguido de tratamento ácido para extração do alumínio da amostra seguido por um tratamento básico para isolamento do alumínio como íon complexo e precipitação do alumínio como criolita com tratamento com ácido fluorídrico. O método apresenta a vantagem de ser um método simples e dar uma destinação econômica ao rejeito das Estações de Tratamento de Águas.

Titular: UFT
Inventores: Emerson Adriano Guarda; Adão Lincon Bezerra Montel; Samir Siriano Barros; Elisandra Scapin.
Status: Pedido de INVENÇÃO depositado junto ao INPI
Nº do Pedido: BR 10 2013 004095-9.
Data do depósito: 14/02/2013.

Processo para obtenção e utilização de pectina, com alto grau de metoxilação, de pericarpo do fruto de pequi

A invenção compreende um processo para produção de pedtina com alto grau de metoxilação extraída de pericarpo do fruto de Pequi (Caryocar brasiliense Cambess) com capacidade espessante. Especificamente, a pectina é extraída utilizando-se água como agente extrator, concentração menor de 100 g/L, em temperaturas entre 15-90ºC, por 1-20 h, seguidas de precipitação e lavagens sucessivas com solvente orgânico, preferencialmente um álcool. A pectina consiste essencialmente de uma homogalacturonana α-(1→4) ligada, com grau de metoxilação entre 55-100%, grau de acetilação entre 0,1-10%. A pectina é, ainda, caracterizada por ser um agente espessante em composições farmacêuticas, cosméticas, alimentícias e químicas, podendo ser utilizada em associação à sais e sacarose.

Titulares: UFT e UFPR
Inventores: Sérgio Donizeti Ascêncio; Jenifer Mota Rodrigues; Joana Léia Meira Silveira; Louise Provin; Maria Eugenia Duarte Noseda; Miguel Daniel Noseda.
Status: Pedido de INVENÇÃO depositado junto ao INPI
Nº do Pedido: BR 10 2013 020796-9.
Data do depósito: 15/08/2013.

Processo de obtenção de emulsões de glicerina para aplicação de herbicidas

O processo de obtenção de emulsões de glicerina para aplicação de herbicidas demonstra que a obtenção de emulsões estáveis utilizando a glicerina bruta tratada com ácido fosfórico e seus respectivos ácidos graxos, permite a elaboração de um produto com características promissoras para o emprego na aplicação de herbicidas em campo, em substituição ao óleo diesel, uma vez que a alguns emulsificantes apresentam características que permitem a união das duas fases imiscíveis presentes na formulação.

Titular: UFT
Inventores: Eduardo Andrea Lemus Erasmo; Rejane Lima Arruda; Bruno de Oliveira Garcia; Paulo Roberto da Silva.
Status: Pedido de INVENÇÃO depositado junto ao INPI
Nº do Pedido: BR 10 2014 012971-5.
Data do depósito: 19/02/2014.

Processo de separação e purificação da α-lactoalbumina e β-lactoglobulina por combinação da cromatografia de troca iônica, sistemas aquosos bifásicos e cromatografia de exclusão molecular

O processo foi desenvolvido para separação e purificação das proteínas a-lactoalbumina, a-la, e b-lactoglobulina, b-lg, presentes no soro de leite, utilizando cromatografia de troca iônica, sistemas aquosos bifásicos SAB e cromatografia de exclusão molecular. O setor técnico a que pertence esta patente está classificado como necessidades humanas: produtos de laticínio; produção dos mesmos; obtenção de composições de proteínas para produtos alimentícios; preparação de peptídeos, p. ex. de proteínas em geral. Estas proteínas em forma purificada são benéficas à saúde e permitem o desenvolvimento de alimentos especiais, como por exemplo, alimentos para fenilcetonúricos. As características das proteínas do soro de leite aqui mencionadas despertaram o interesse pela sua recuperação, purificação e comercialização, ratificando a necessidade da implementação de um processo de recuperação de proteínas, agregando valor a este sub-produto e diminuindo a poluição do meio ambiente.

Titulares: UFT e UFV
Inventores: Abraham Damian Giraldo Zuniga; Jane Selia dos Reis Coimbra; Edwin Elard Garcia Rojas.
Status: Pedido de INVENÇÃO depositado junto ao INPI
Nº do Pedido: BR 10 2014 018188-1.
Data do depósito: 02/07/2014.

Método de extração e processamento de produtos à base de polpa integral de bacaba

No método de extração e processamento de produtos à base de polpa integral de bacaba, desenvolvido para aplicação em fins industriais, é preciso que os frutos passem por seleção, lavagem, maceração em água e despolpamento a fim de obtenção de produto com características integrais. Posteriormente a polpa pode ser usada para extração da parte lipídica e o restante de polpa e cascas utilizado para desenvolvimento de novos produtos como geleias. A presente invenção é caracterizada pelo aproveitamento integral da parte comestível do fruto da bacaba e desenvolvimento de produtos à base de polpa integral de bacaba com finalidade de aproveitamento na alimentação humana. O processo de obtenção da polpa e dos produtos finais de caracterizam por serem inéditos quanto a proposta de aproveitamento e modo de obtenção. Por meio desse método, a polpa integral de bacaba possui alta versatilidade podendo ser usada no desenvolvimento de grande número de produtos.

Titular: UFT
Inventores: Éder Alencar Rezende; Aroldo Arévalo Pinedo; Robert Taylor Rocha Bezerra; Gabriela Eustáquio Lacerda.
Status: Pedido de INVENÇÃO depositado junto ao INPI
Nº do Pedido: BR 10 2014 026325-0.
Data do depósito: 10/10/2014.

Processo de adição de ácido graxo como matéria prima na massa de cerâmica vermelha

As empresas de cerâmica vermelha utilizam matérias-primas argilosas naturais no processo de fabricação de seus produtos, as quais estão sujeitas a larga variabilidade de suas propriedades. As propriedades mecânicas dos produtos de cerâmica vermelha são dependentes da composição das argilas e das condições de processamento que são empregados. A temperatura de queima é um parâmetro de processamento que tem grande influência nas propriedades tecnológicas, um conjunto bastante complexo de reações físico-químicas, dependentes da temperatura de queima, e se processa no interior da massa cerâmica. Essas reações promovem a formação de novas fases cerâmicas, que são determinantes para as propriedades físico-mecânicas no produto final. A indústria cerâmica tem uma capacidade de absorver resíduos em até 5% na sua massa. Este trabalho mostra a influência da adição do ácido graxo um resíduo da glicerina na massa cerâmica. Durante os ensaios realizados em laboratórios, ficou comprovada o melhoramento das argilas e uma massa cerâmica com propriedades especificas. Os percentuais que podem ser adicionados em peso na massa cerâmica foram formulações: 0,5%, 1% e 1,5% de ácido graxo. A temperatura de queima das peças foi controlada entre 700 a 1000ºC, de acordo a amostra que foi sinterizada. As porcentagens de ácidos graxos adicionados reduzem a absorção da água na massa cerâmica, também o tempo de queima da cerâmica e a quantidade de combustível necessário no processo de produção. A queima do ácido graxo junto com a argila no processo de sinterização não emite gases tóxicos ou poluentes, atendendo as orientações preconizadas nas normas da ABNT 10.004, 10.005 e 10.006. As amostras foram caracterizadas químicas e mecanicamente de acordo com as normas: Retração Linear ASTM 210/95, Porosidade Aparente ASTMC 373/94-88, Resistência Mecânica ASTMC 133/97.

Titular: UFT
Inventores: Fernando Antônio da Silva Fernandes; Juan Carlos Valdés Serra; Joel Carlos Zukowscki Junior.
Status: Pedido de INVENÇÃO depositado junto ao INPI
Nº do Pedido: BR 10 2014 029194-6.
Data do depósito: 17/11/2014.

Biorreator com cesto poroso para uso em reações com células e enzimas imobilizadas

A presente invenção consiste em um biorreator verticalmente alongado contendo em seu interior um cesto poroso para utilização em reações com enzimas imobilizadas. O aparelho consiste em um vaso de reação confeccionado em vidro verticalmente alongado possuindo uma (1) entrada para reagente líquido e uma (1) saída de produto; contendo um cesto completamente submerso no meio reacional. Partículas biocatalisadoras imobilizadas compreendendo enzimas são colocadas dentro do recipiente poroso, de tal modo que o reagente líquido entre em contato com o biocatalisador tanto em direção radial como axial. O ponto de alimentação do biorreator pode ficar localizado em qualquer ponto ao longo das dimensões do mesmo, mas de preferência, a uma parte superior ou na extremidade inferior do vaso. Tal invenção tem a vantagem de permitir um maior contato entre os reagentes e o biocatalisador, que por sua vez aumenta a velocidade de reação e a eficiência da reação biocatalítica. Outra vantagem é que o biocatalisador pode ser separado a partir da mistura de reação, simplesmente por drenagem do líquido circulante.

Titular: UFT
Inventores: Ezequiel Marcelino da Silva; Marysa de Kássia Guedes Soares.
Status: Pedido de INVENÇÃO depositado junto ao INPI
Nº do Pedido: BR 10 2014 0029195-4.
Data do depósito: 18/11/2014.

Gabarito portátil para construção de pingadeiras

A presente invenção diz respeito a um molde constituído em duas peças e mais uma cantoneira as quais deverão ser encaixadas lateralmente na parte superior do muro (3), sendo uma de cada lado, em que ambas serão presas por meio de um aparato fixador (4) e (5) que pode ser um “sargento” (5). Cada peça é dotada de reentrância em forma de “concha (2),” idealizada de forma a receber a argamassa (7) fornecendo um formato apropriado para receber a água da chuva (8), com a finalidade de evitar o escorrimento da água em muros e fachadas. O campo de aplicação técnica deste produto é de materiais para construção civil.

Titular: UFT
Inventores: Wesley Duarte de Oliveira; Marco Antônio Baleeiro Alves.
Status: Pedido de INVENÇÃO depositado junto ao INPI
Nº do Pedido: BR 10 2015 016356-8.
Data do depósito: 30/06/2015.

Uso do gel de quitosana como coagulante e floculante no tratamento de águas e efluentes

Refere-se ao uso de gel contendo quitosana que pode agir como coagulante e floculante no tratamento de águas e efluentes. O setor técnico a que se refere esta patente é o de tratamento de água, águas residuais, de esgotos ou de lamas e lodos. O gel de quitosana possui a vantagem de ser um produto de composição inteiramente orgânica, biodegradável e atóxico para o meio ambiente. Pode substituir a forma usual de tratamento, realizada com compostos químicos, substituindo os produtos convencionais sulfato de alumínio, sulfato de ferro e outros similares de elevada toxicidade. A utilização do gel de quitosana demonstrou em testes realizados em laboratório, eficiência superior aos dos coagulantes e floculantes a base de sais de alumínio e ferro. Além do baixo índice de toxicidade e formação de lodo.

Titular: UFT
Inventores: Emerson Adriano Guarda; Patrícia Martins Guarda; Adão Lincon Bezerra Montel; Alvaro Alves Martins.
Status: Pedido de INVENÇÃO depositado junto ao INPI
Nº do Pedido: BR 10 2016 005006-5.
Data do depósito: 17/02/2016.

Separação de proteínas do soro de leite bovino com aplicação do babaçu

A presente invenção refere-se ao processo separação das proteínas do soro de leite bovino com a aplicação do carvão ativo do coco Babaçu na indústria de alimentícia, farmacêutica e ou nutracêutica, No processo de separação foi utilizado Babaçu, precisamente, endocarpo e mesocarpo de Babaçu como material adsorvente na separação da proteína do soro de leite bovino, a albumina de soro bovino (BSA). O processo de separação da proteína do soro de leite foi realizado utilizando técnicas de centrifugação e adsorção, bem como tratamento termoquímico preliminar adequado. Resultados mostraram que o Babaçu, precisamente o endocarpo e mesocarpo de babaçu apresentou boa capacidade máxima de adsorção (qm) e consequentemente boa eficiência.

Titular: UFT
Inventores: Márcia Regina Ribeiro Alves; Abraham Damian Giraldo Zuniga.
 Status: Pedido de INVENÇÃO depositado junto ao INPI
Nº do Pedido: BR 10 2016 006987-4.
Data do depósito: 22/03/2016.

Maionese com polpa de açaí e o seu respectivo método de processamento

A maionese de açaí é uma emulsão de óleo/água adicionada de polpa de açaí, além de outros componentes aqui descritos, apresenta aplicação no setor técnico da indústria de alimentos. Obtida por meio dos seguintes componentes: óleos/azeites vegetais, ovo em pó, polpa de açaí, água, ácido cítrico, ácido lático, sorbato de potássio, vinagre branco, sal refinado, açúcar cristal, edulcorantes e goma xantana. O processo de fabricação é de fácil execução de acordo com a mistura dos componentes e possui aporte calórico menor que a maionese tradicional. O seu consumo reduz a ingestão de ácidos graxos saturados e aumenta o consumo de ácidos graxos poli-insaturados e monoinsaturados além de ácidos graxos essenciais, como o ômega 3 e ômega 6, além das antocianinas e antocianidinas presentes naturalmente na polpa do açaí.

Titular: UFT
Inventores: Éder Alencar Rezende; Robert Taylor Rocha Bezerra; Marcela Mona de Sá Santos; Fabiana de Oliveira Pereira.
Status: Pedido de INVENÇÃO depositado junto ao INPI
Nº do Pedido: BR 10 2016 008888-7.
Data do depósito: 11/04/2016.

Bebida láctea à base de extrato hidrossolúvel de amêndoa de babaçu e seu processo de obtenção com cultura probiótica

O presente invento refere-se ao processo de fabricação de uma bebida láctea fermentada e este produto contendo culturas probióticas incorporados a uma matriz constituída de leite e/ou seus derivados e amêndoa de babaçu (Orbignya speciosa). A presente invenção pertence ao campo da Engenharia de Alimentos. Especificamente refere-se a um processo de produção de produto alimentício fermentado a base de amêndoa de babaçu com cultura probiótica e está relacionado aos usos da bebida láctea probiótica como alimento funcional indicado a doenças crônicas intestinais, dietas de emagrecimento, síndrome metabólica, úlcera peptídica, diabetes, doenças auto-imunes, diminuição do colesterol, prevenção de câncer  entre outros.

Titular: UFT
Inventores: Zilda Doratiotto de Salles Arévalo; Aroldo Arévalo Pinedo; Abraham Damian Giraldo Zuniga.
Status: Pedido de INVENÇÃO depositado junto ao INPI
Nº do Pedido: BR 10 2016 010153-0.
Data do depósito: 28/04/2016.

Processo para produção de monossacarídeos fermentescíveis a partir de quitina e/ou quitosana por hidrólise química e/ou hidrólise enzimática e seus usos

A presente invenção apresenta um processo para obtenção de monossacarídeos em solução aquosa ácida a partir de quitina ou quitosana por meio de hidrólise química e ou enzimática. Este processo permite a obtenção de solução de açúcares fermentescíveis ou não fermentescíveis utilizando reagentes de baixo custo e de fácil aquisição, os quais possuem importância industrial. O setor técnico a que se refere esta invenção visa prover, por meio de um novo processo de produção, a indústria de alimentação e/ou indústria química, por meio de um método alternativo de fabricação de monossacarídeos mais simples e. portanto mais viável do ponto de vista técnico-econômico.

Titular: UFT
Inventores: Éber Eurípedes de Souza; Sérgio Donizeti Ascêncio; Adão Lincon Bezerra Montel.
Status: Pedido de INVENÇÃO depositado junto ao INPI
Nº do Pedido: BR 10 2016 014767-0.
Data do depósito: 14/06/2016.

Uso do óleo essencial de Morinda citrifolia (Noni) em formulação com fins inseticida e repelente

a presente invenção trata-se de uma formulação à base de óleo essencial dos frutos maduros de Morinda citrifolia (Noni) com fins ovicida, larvicida, pupicida, adulticida, inseticida e repelente contra todos os estádios de Aedes aegypti. Estas formulações podem ser preparadas na forma de aerossol, soluções líquidas, pastas, géis, cremes, suspensões, pomadas, impregnados em suportes físicos para liberação eletrônica e através de dispositivos de queima e liberação por calor e podem estar associadas ou não a outros compostos inseticidas naturais e/ou sintéticos e a adjuvantes e veículos.

Titular: UFT
Inventores: Talita Pereira de Souza Ferreira; Raimundo Wagner de Souza Aguiar; Ronice Alves Vesolo; Gil Rodrigues dos Santos; Dalmarcia de Souza Carlos Mourão; Chrystian de Assis Siqueira; Richard Dias Possel.
Status: Pedido de INVENÇÃO depositado junto ao INPI
Nº do Pedido: BR 10 2017 007359-9.
Data do depósito: 04/04/2017.

Uso da levedura Saccharomyces Cerevisiae Cepa UFMG 905 na produção de sorvete probiótico

descreve a aplicação da levedura em sorvete. A tecnologia proposta se presta à adição da levedura em sorvetes na forma livre em números controlados de células, gerando benefícios para a saúde humana e promovendo uma nova categoria de alimento probiótico, tratando-se dessa forma de um invento referente ao setor técnico agro-industrial. Essa levedura resiste ao armazenamento em temperaturas críticas e condições de produção industrial de sorvetes sem afetar as características físicas, químicas e sensoriais do produto. Este micro-organismo pode ser aplicado diretamente no alimento sem passar pela fermentação do leite, etapa geralmente aplicada quando utilizadas bactérias probióticas.

Titular: UFT e UFMG
Inventores: Raphael Sanzio Pimenta; Juliana Fonseca Moreira da Silva; Drielly Dayanne Monteiro dos Santos; Jacques Robert Nicoli; Carlos Augusto Rosa; Flaviano dos Santos Martins.
Status: Pedido de INVENÇÃO depositado junto ao INPI
Nº do Pedido: BR 10 2017 008701-8.
Data do depósito: 26/04/2017.

Espuma vítrea com adição de vidro sodocálcico, cinza da casca de arroz e carbonato de cálcio de grau P.A

Comprovou-se a influência da adição da cinza da casca de arroz no vidro sodocálcio com adição de carbonato de cálcio para obtenção de uma espuma cerâmica com excelentes propriedades térmicas e acústicas. O percentual adicionado de cinza da casca de arroz em relação ao peso do vidro sodocálcico pode variar de 5 até 30%. O carbonato de cálcio também terá sua massa em relação a massa do vidro sodocálcico com percentual de adição entre 10%. A temperatura de sinterização das peças foi controlada entre 650 a 1100°C, de acordo a amostra que foi sinterizada. A formulação ainda recebe adição de 5% de água e 5 % de PVA (Álcool polivinílico). Para garantir a eficiência uma rampa de queima de 100/°C/h e feita e uma rampa de resfriamento e necessária com 100°C/min.

Titular: UFT
Inventores: Fernando Antonio da Silva Fernandes; Carlos Pérez Bergmann; Juan Carlos Valdés Serra; Ervim Francisco Tochtrop Junior.
Status: Pedido de INVENÇÃO depositado junto ao INPI
Nº do Pedido: BR 10 2017 014546-8.
Data do depósito: 29/06/2017.

Agregado com adição de cinza da casca de arroz, vidro sodocálcico e carbonato de cálcio

Descreve um produto e método para produção de agregado. A adição controlada em peso de vidro sodocálcico, cinza da casca de arroz (CCA) e carbonato de cálcio (CaCO3) dão origem a um agregado leve, rígido, quimicamente inerte e não tóxica. Esta formulação produz um produto ambientalmente correto. As formulações dos materiais e o processo de produção desenvolvido resultam em um agregado leve, rígido, com alta resistência a compressão uniaxial com baixa absorção de água, quimicamente inerte e não tóxica que reduz o peso próprio de estruturas de concreto como vigas, pilares e lajes. O agregado produzido pode ser utilizado em substituição parcial ao agregado natural extraído no meio ambiente. As propriedades tecnológicas do material desenvolvido são capazes de reduzir o custo com a redução do peso próprio das estruturas em obras de construção civil.

Titular: UFT
Inventores: Fernando Antonio da Silva Fernandes; Carlos Tochtrop Junior; Carlos Pérez Bergmann; Juan Carlos Valdés Serra.
Status: Pedido de INVENÇÃO depositado junto ao INPI
Nº do Pedido: BR 10 2017 014548-4.
Data do depósito: 30/06/2017.

Uso de isolados de Trichoderma tolerantes as radiações solares UV-B e UV-A em formulação de biofungicida

Descreve isolados do fungo Trichoderma sp. tolerantes as radiações solares UV-B e UV-A por  uma e duas horas, uma formulação à base de quatro isolados do fungo Trichoderma (UFTG 08, UFTG 09, UFTG 13, UFTG 48) e seus metabólitos com fins biofungicidas, controlando cinco fitopatógenos (Sclerotinia sclerotiorum, Rhizoctonia solani, Colletotrichum spp., Fusarium spp. e Macrophomina spp.), compatíveis com cinco fungicidas químicos (Fluazinam, Fluopyram, Azoxistrobina, Difenoconazole e Captana), produzidos em arroz parboilizado e farelo de arroz e tolerantes a uma e duas horas de exposição as radiações solares UV-B e UV-A em campo.

Titular: UFT
Inventores: Raimundo Wagner de Sousa Aguiar; Edimara Aparecida Francisco.
Status: Pedido de INVENÇÃO depositado junto ao INPI
Nº do Pedido: BR 10 2017 020940-7.
Data do depósito: 29/09/2017.

Desmoldante para a construção civil baseado em oligômeros do glicerol e seus derivados

A presente invenção relata o uso de oligômeros de glicerol e seus derivados de oxidação e desidratação como componentes para uma formulação de desmoldante para aplicação na indústria da construção civil. O desmoldante pode ser usado na fabricação de artefatos cimentícios pré-moldados e apresenta algumas características importantes, tais como: (i) capacidade em aderir a formas, principalmente de madeira; (ii) capacidade de reter água ou absorver da forma, mantendo o artefato cimentício úmido por mais tempo, favorecendo a cura do cimento; (iii) capacidade de formar sobre a forma, um filme flexível e resistente a vibrações e a ação abrasiva do concreto úmido, ao ser adicionado; (iv) facilidade de ser removido da forma e principalmente do artefato cimentício, já que é um produto solúvel em água; (v) facilidade de se combinar com aditivos diversos (polares ou apolares e poder ser utilizado como aditivo retardador de pega do cimento; (vi) ser derivado de um subproduto da produção de um biocombustível e (vii) ser biodegradável.

Titular: UFT
Inventores: Miguel de Araújo Medeiros.
Status: Pedido de INVENÇÃO depositado junto ao INPI
Nº do Pedido: BR 10 2017 021216-5.
Data do depósito: 03/10/2017.

Geossintético natural com matriz de fibra do epicarpo de coco babaçu

Patente de Modelo de Utilidade para a produção de mantas sintéticas (ou biomantas) destinadas ao controle de processo erosivos superficiais e revegetação, em taludes ou canais, situação bem recorrente em intervenções promovidas pelo setor da construção civil. A proposta traz uma biomanta composta por uma matriz orgânica proveniente das fibras do epicarpo do coco babaçu, as quais são confinadas entre duas redes sintéticas (geralmente polímeros termoplásticos de preferência fotodegradáveis e/ou biodegradáveis) que confinam a matriz e garantem uma maior rigidez e trabalhabilidade durante a aplicação da biomanta. A adoção de fibras do coco babaçu como matriz em mantas sintéticas (ou biomantas) apresenta comportamento semelhante as já existentes no mercado, além de garantir benefícios na redução dos custos de transporte e no incentivo a instalação de novas plantas industriais, em regiões do país onde este vegetal é endêmico.

Titular: UFT
Inventores: Marcus Vinicius Ribeiro e Souza; Thais Freitas Zenkner.
Status: Pedido de INVENÇÃO depositado junto ao INPI
Nº do Pedido: BR 20 2017 022882-2.
Data do depósito: 24/10/2017.

Kit Saco de Lixo Prático

Trata-se de um pedido de depósito de patente de Modelo de Utilidade adaptado para qualquer tipo de saco de lixo e lixeira, sendo que ambos se apresentam com suas peculiaridades. O Setor Técnico ou tecnológico a que pertence o presente pedido de patente é o de coleta ou remoção de lixo doméstico ou refugos ou receptáculos para refugos, com inserções removíveis ou flexíveis, p. ex. sacos ou sacas, com dispositivos para facilitar o esvaziamento. O Modelo de Utilidade é constituído de 3 partes que formam o conjunto: lixeira especial de acordo com Figura1 e Figura 2, dispositivo de prendimento por suporte de gancho com eixo giratório (4) em Figura 3, Figura 4 e Figura 5, sistema de sacos picotados unidos entre si conforme Figura 9 e Figura 10. Todas estas partes se complementam, porém, nada impede que possam ser utilizados separadamente caso seja critério do usuário, ou seja, os sacos de lixo (Figura 9, Figura 10) ou lixeira especial (Figura 1 e Figura 2). A Figura 1 mostra o sistema completo acoplado na lixeira com o saco de lixo para prender os sacos de lixos. A lixeira representada na Figura 7 e Figura 8 tem sua aplicação vinculada ao sistema de sacos picotados unidos entre si conforme Figura 9 e Figura 10.

Titular: UFT
Inventores: Gabriel Machado Santos; Vagner Cassol; Francisco Gilson Rebouças Porto Junior; Marco Antônio Baleeiro Alves.
Status: Pedido de INVENÇÃO depositado junto ao INPI
Nº do Pedido: BR 20 2018 007840-8.
Data do depósito: 18/04/2018.

Uso de ácido propiônico para o controle de doenças pós-colheita em vegetais

Descreve o uso do ácido propiônico para criar uma atmosfera modificada que irá controlar o crescimento de patógenos, responsáveis por doenças pós-colheita, propiciando uma vida de prateleira maior para os vegetais e, dessa forma, esse invento se refere ao setor técnico agro-industrial. A tecnologia proposta se presta ao controle da incidência e redução da severidade da doença provocada por patógenos em vegetais, prolongando a vida de prateleira e minimiza as perdas dos produtores e distribuidores durante o período de cultivo, transporte e armazenamento, aumentando assim a oferta dos vegetais para o consumidor final.

Titular: UFT
Inventores: Raphael Sanzio Pimenta; Jhonatha Barros Cabral; Juliana Fonseca Moreira da Silva.
Status: Pedido de INVENÇÃO depositado junto ao INPI
Nº do Pedido: BR 10 2018 008127-6.
Data do depósito: 20/04/2018.

 

registrado em:
Fim do conteúdo da página