Ir direto para menu de acessibilidade.

Página inicial > Últimas Notícias > Parceria entre UFT e Iphan tem mais de 2 milhões de reais para projetos de fortalecimento do patrimônio cultural
Início do conteúdo da página
extensão

Parceria entre UFT e Iphan tem mais de 2 milhões de reais para projetos de fortalecimento do patrimônio cultural

Por Daniel dos Santos | Publicado: Terça, 07 de Novembro de 2023, 12h02 | Última atualização em Quarta, 08 de Novembro de 2023, 07h58

Nos dias 30 e 31 de outubro e 1º de novembro, o presidente do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), Leandro Grass, esteve no Tocantins para visitar as cidades de Porto Nacional, Chapada de Natividade e Natividade. São cidades históricas que recebem projetos de conservação e valorização do patrimônio cultural pelo Iphan, executados por pesquisadores da Universidade Federal do Tocantins (UFT).

Atualmente, a UFT e o Iphan têm seis projetos em parceria que estão em andamento ou que estão prestes a terem início. São projetos que vão impactar o patrimônio cultural dos municípios de Arraias, Chapada de Natividade, Natividade, Paranã e Porto Nacional. Ao todo, os seis projetos contabilizam R$ 2,158 milhões em recursos para execução nos anos de 2023 e 2024. Mais abaixo você pode conferir mais informações a respeito de cada projeto.

O presidente do Iphan, Leandro Grass, explica que essas iniciativas fazem parte de uma mudança de olhar sobre a cultura e o patrimônio de regiões. "Nós estamos aqui para dar as mãos e trazer dignidade para os moradores dos centros históricos. A política de patrimônio tem a capacidade de gerar pertencimento. Por isso o nosso esforço em investir recursos no Brasil genuíno. O Brasil que fala de si. O Brasil que nasce de pequenas comunidades, da mistura com a cultura africana e com a cultura indígena". 

A pró-reitora de Extensão, Cultura e Assuntos Comunitários (Proex) da UFT, Maria Santana Milhomem, ressalta como a extensão universitária dialoga diretamente com as áreas de atuação do Iphan. “Quando a gente fala de patrimônio, a gente também fala de formação para lidar com o patrimônio. A UFT fica honrada por este projeto com o Iphan. O patrimônio faz parte da nossa identidade e por isso precisamos preservar”.

A superintendente do Iphan no Tocantins, Cejane Pacini, explica que estes projetos fazem parte de uma ação estratégica do órgão. “Isso visa reposicionar a estratégia de conservação de patrimônio. Para além da estabilização de um imóvel, a preservação do patrimônio como indutor de desenvolvimento dos centros históricos”.

O diretor de patrimônio material do Iphan, Deivison Gusmão, explica porque a parceria entre UFT e Iphan é tão bem-sucedida. “Quando o Iphan firma uma parceria com a Universidade Federal, a gente tem certeza de que será executado um trabalho de qualidade”.

Projetos

Dossiê da Ourivesaria de Natividade
Coordenado pela professora Noeci Carvalho Messias (Teatro)
Valor de R$ 215.631,00

O projeto do Dossiê da Ourivesaria de Natividade se encontra em desenvolvimento - teve início no mês de maio de 2023 - e até o momento a equipe de pesquisadores levantou dados e informações bibliográficas, documentais significativos; captação de um conjunto expressivo de entrevistas realizadas e já transcritas parcialmente; catalogação de tipologia de joias e ferramentas utilizadas na confecção das peças;  captura, edição, seleção e organização  de fotografias e vídeos em diferentes contextos;  organização de  ensaio fotográfico com os moradores;  realização de exposição fotográfica etc. Agora, tais dados e informações estão sendo sistematizados visando mostrar o alto significado das joias artesanais de Natividade na perspectiva do reconhecimento deste valioso bem como patrimônio cultural brasileiro.

Canteiro modelo de conservação no Tocantins
Coordenado pelo professor Bruno Parrilho (Engenharia Civil)
Valor de R$ 943.066,00

Trata-se da segunda etapa de implantação do canteiro modelo de conservação do Tocantins. É um projeto que visa dar suporte às ações de conservação do patrimônio cultural presentes no Estado. Nessa etapa serão estabelecidas as sedes do projeto nos municípios de Porto Nacional e Natividade. Além disso, serão desenvolvidos e disponibilizados gratuitamente 10 projetos de conservação de imóveis em cada um dos municípios citados. Tem-se ainda como objetivos dessa segunda etapa o desenvolvimento de pesquisas voltadas para a solução técnica de problemas comumente encontrados nas edificações, problemas de infraestrutura, adequações das edificações entre outros. Como se vê, é um projeto complexo que envolve várias especialidades na busca de soluções.

Inventário Nacional das Referências Culturais (INRC) da Festa do Divino Espírito Santo
Coordenado pela professora Noeci Carvalho Messias (Teatro)
Valor de R$ 427.507,56

O projeto INRC da Festa do Divino Espírito Santo de Chapada de Natividade, Natividade e Paranã (TO) consiste em uma proposta que foi contemplada,  por meio do Edital do Programa Nacional do Patrimônio Imaterial (PNPI), e visa realizar o Inventário Nacional das Referências Culturais (INRC) da Festa do Divino Espírito Santo, em três municípios tocantinenses: Chapada de Natividade, Natividade e Paranã, com vistas a instrumentalizar o Iphan, na formulação e implementação de políticas de gestão e preservação do patrimônio cultural imaterial do estado do Tocantins. A realização do INRC sobre as festividades do Divino Espírito Santo nos municípios de Chapada de Natividade, Natividade e Paranã no Estado do Tocantins vai ao encontro da missão institucional do Iphan, que há mais de 80 anos busca incessantemente a preservação, promoção e valorização do patrimônio cultural brasileiro.

Audiotour em Natividade
Coordenado pela professora Renata Ferreira (Teatro)
Valor de R$ 175.500,00

A proposta deste projeto consiste na cooperação técnica entre o Iphan e a UFT, visando a criação de  audiotours em diferentes pontos da parte histórica da cidade de Natividade via qr codes disponibilizados aos participantes para acesso via celular. Serão duas propostas de caminhadas como apostas para uma experiência acessível de educação patrimonial em áudio. Na primeira, o ouvinte poderá caminhar pelo centro histórico parando em algumas igrejas, becos, casas e ruinas para ouvir, diante dos monumentos tombados, pequenas narrativas com histórias e curiosidades conectadas a história dos monumentos e seu valor patrimonial. No segundo audiotour, os ouvintes vão escutar por meio das próprias vozes de moradores locais com reconhecida competência na cidade por seus saberes e habilidades pequenas narrativas que revelem modos de expressão e o valor patrimonial imaterial da cidade. Sabemos que a missão institucional do Iphan é “promover e coordenar o processo de preservação do Patrimônio Cultural Brasileiro para fortalecer identidades, garantir o direito à memória e contribuir para o desenvolvimento socioeconômico do país”. Portanto, compete ao Iphan desenvolver no âmbito nacional ações que possam contribuir para a preservação e promoção do patrimônio cultural brasileiro a ser realizado por meio de trabalho de pesquisa regulado por Termo de Execução Descentralizada (TED) entre as partes. O projeto faz parte das ações de salvaguarda previstas no projeto Dossie do bem cultural da ourivesaria de Natividade, já em andamento e coordenado pela professora Noeci Carvalho Messias.

Incubadora de Economia Criativa
Coordenado pela professora Ana Claudia Macedo Sampaio (Turismo Patrimonial e Socioambiental)
Valor de R$ 150.000,00

Capacitar grupos invisibilizados e/ou organizações comunitárias que compõem o território do sudeste tocantinense para assumir papéis ativos como multiplicadores e gestores do patrimônio cultural, contribuindo para uma maior conscientização e valorização cultural e fortalecendo o engajamento coletivo e a ampliação da política patrimonial do estado.

Resistências: educação patrimonial nas escolas
Coordenado pela professora Ana Claudia Macedo Sampaio (Turismo Patrimonial e Socioambiental)
Valor de R$ 250.000,00

O “Projeto Resistência: educação patrimonial nas escolas” visa oferecer o curso de aperfeiçoamento teórico e prático para os professores da rede estadual de ensino com foco na visibilização e valorização do patrimônio cultural associados à população afrodescendente e quilombola da região do sudeste tocantinense.

Fim do conteúdo da página