Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página

Histórico

A história do curso de Logística começa em 2007, ano em que o Governo Federal incrementou o programa de expansão das universidades federais iniciado em 2003. Esse reforço se deu através do Programa de Apoio a Planos de Reestruturação e Expansão das Universidades Federais (Reuni).

Dados do MEC mostram que o Reuni contribuiu para aumentar em mais de 65% o número de vagas em cursos de graduação presenciais em todo o país. Só na UFT foram criados 14 novos cursos, distribuídos nos câmpus de Araguaína, Gurupi e Palmas.

A implementação desses cursos exigiu a elaboração de um plano que ficou a cargo de comissões criadas em cada unidade. Segundo a professora Luiza Helena, curso de Letras, foi um período que exigiu muito esforço e força de vontade de todos.

A discussão sobre a necessidade de um curso de Logística em Araguaína surgiu em função dos investimentos da empresa Vale em Colinas; a proximidade com a ferrovia norte-sul; a existência de uma Zona de Processamento de Exportação (ZPE) na cidade; além da localização geográfica privilegiada do município, caminho dos que transitam pela BR-153, conhecida rodovia Belém-Brasília. Nesse contexto nossa
cidade despontou como polo de desenvolvimento logístico. A ideia, portanto, não foi atender a uma demanda imediata, mas formar profissionais capazes de tomar as rédeas da economia araguainense.

Com o incremento financeiro resultante do Reuni a UFT pode erguer o Anfiteatro (bloco G); o 3P (Bloco H); e o Bala II. Infelizmente, as primeiras turmas não usufruíram dessa infraestrutura, pelo menos não no início, graças à vinculação dos recursos do Programa à efetivação das matrículas dos novos acadêmicos. Ou seja, para o MEC, não bastava criar o curso, mas selecionar e matricular estudantes neles. Isso
só veio acontecer em 2009. Até então, a turma de Logística assistiu aulas em salas improvisadas nas dependências da antiga Unitins (prédio cedido pelo governo estadual à UFT, onde hoje funciona a Secretaria Municipal de Habitação, no Bairro São João) e no Sesi-CAT, aqui ao lado. Além disso, o número reduzido de professores, somado ao alto índice de rotatividade dos mesmos, também impactou negativamente no início do curso.

Foram muitas as dificuldades nos primeiros anos de Logística. Mesmo assim, é preciso reconhecer o empenho dos pioneiros, especialmente àqueles que aceitaram a árdua missão de coordenar o curso durante sua implantação. A recompensa pelo bom trabalho veio com a nota máxima no Enade 2013. Segundo o professor Warton, coordenador do curso (2016), toda dedicação reflete positivamente na percepção da comunidade que vê no curso uma grande preocupação com a formação de gestores.

Hoje o curso conseguiu se estruturar, sendo referência em todo o Tocantins. Ainda assim, a rotatividade continua sendo um dos maiores gargalos. O professor Warton ressalta que a consolidação plena ocorrerá somente quando estivermos com o quadro de docentes efetivos completo, todos doutores.

Em quase sete anos de existência, as dificuldade apenas fortaleceram o curso de Logística e afirmaram sua importância para a cidade de Araguaína e região.

Fim do conteúdo da página
-->