Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Gestão > Núcleos > Observatório de Pesquisas Aplicadas ao Jornalismo e ao Ensino (Opaje)
Início do conteúdo da página

Observatório de Pesquisas Aplicadas ao Jornalismo e ao Ensino (Opaje)

Opaje

Sobre o Opaje

Núcleo de Pesquisa e Extensão "Observatório de Pesquisas Aplicadas ao Jornalismo e ao Ensino" (Opaje) consolida-se como um organismo integrante da Universidade Federal do Tocantins (UFT) com propostas multi e interdisciplinares, destinado a coordenar e executar atividades de pesquisas, estudos e extensão na confluência em Comunicação e Educação e áreas afins.

Sua criação e institucionalização têm por objetivo fortalecer os grupos e linhas de pesquisa existentes no Curso de Comunicação Social/Jornalismo, no Campus de Palmas e demais campi da UFT, bem como agregar projetos, grupos e/ou núcleos de ensino, pesquisa e extensão que tenham interesse em compartilhar objetivos, discussões e conhecimentos produzidos pelos grupos.

Opaje também se justifica pela necessidade de fomentar parcerias entre núcleos e/ou grupos de pesquisa em outras instituições acadêmicas no Estado do Tocantins, no Brasil e no exterior. Com isso, pretende-se identificar parceiros e políticas públicas específicas relacionadas ás áreas de pesquisa do Núcleo.

Opaje está vinculado às pró-reitoria(s) de Graduação, de Pesquisa e de Extensão e Cultura, tendo em vista que os estudos, ações e pesquisas por ele desenvolvidos se relacionam de forma interdisciplinar com as atividades desse tripé.

Constitui-se de professores do Câmpus de Palmas, com abertura para pesquisadores de outros câmpus e instituições que demonstrem interesse nas discussões do Núcleo.

Histórico

Núcleo Opaje nasce com o Grupo de Pesquisa do CNPq “Observatório de Pesquisas Aplicadas ao Jornalismo e ao Ensino”, institucionalizado em 2013 com lastro no Curso de Comunicação Social/Jornalismo da UFT. 

Devido às diversas atividades de ensino, pesquisa e extensão, o grupo de pesquisa Opaje reconstitui-se migrando para um Núcleo de Pesquisa e Extensão, com maior autonomia. Em dezembro de 2014, o Núcleo de Pesquisa e Extensão “Observatório de Pesquisas Aplicadas ao Jornalismo e ao Ensino” criado pela Resolução Consepe nº 23 de 16 de dezembro de 2014.

Núcleo Opaje agregou-se em 2014  a Rede Nacional de Observatórios de Imprensa (Renoi), com foco na crítica de mídia e no monitoramento de coberturas jornalísticas, além das ações de formação da área Comunicação, Jornalismo e Educação.

Em 2015, o Opaje ingressa na Rede Internacional de Pesquisadores sobre Bolonha / International Researchers Network for Bologna (Rebol) que foi criada como instrumento facilitador e promotor de pesquisas, além de produzir, articular e socializar conhecimentos de pesquisadores de diferentes países, objetivando ampliar e aprofundar experiências em pesquisa com foco no Processo de Bolonha.

No mesmo ano, tivemos a aprovação via editais do CNPq e Capes de pesquisas em rede. A pesquisa “Implementação do quadro de qualificações europeu na formação e no ensino de Comunicação Social e Jornalismo: estudo das estratégias de aplicação em Portugal” com financiamento do CNPq-Edital Universal; a pesquisa “Análise da cooperação entre organizações sociais alemãs e brasileiras para a promoção do ensino em comunidades tradicionais amazônicas” desenvolvida pela Unesp em co-participação do Opaje-UFT e  a pessquisa “Imprensa e modernidade na Amazônia brasileira (1821-1921)” desenvolvida pela UFRR em co-participação do Opaje-UFT, financiada pelo CNPq edital universal. 

E começamos um novo capítulo de produção acadêmica com a criação da Revista Observatório. Trata-se  de um periódico quadrimestral, com foco na discussão acadêmica e em estudos interdisciplinares avançados no campo da Comunicação, do Jornalismo e da Educação. A revista nasce internacionalizada, possuindo editores no Brasil, Cabo Verde, Moçambique e Portugal. Recebe em fluxo contínuo, textos em português, espanhol e inglês para as seções artigos, dossiê temático, ensaios, entrevista, resenha e temas livres.

 

Obejtivos

O Núcleo de Pesquisa e Extensão “Observatório de Pesquisas Aplicadas ao Jornalismo e ao Ensino” (Opaje) tem como objetivo geral proporcionar a reflexão e desenvolver estudos, métodos, pesquisas e projetos de pesquisa e extensão voltados para a comunicação, jornalismo e a educação em geral e especial para o ensino e a formação desses profissionais. 

São objetivos específicos do Núcleo:

I - Contribuir para a formação de grupos de estudo na área de comunicação, jornalismo e educação; 
II - Desenvolver hábitos de colaboração de trabalhos e estudos de forma interdisciplinar, transdisciplinar e multidisciplinar; 
III - Prestar assessoria aos profissionais da comunicação e da educação; 
IV - Desenvolver parcerias com instituições e profissionais da comunicação e da educação; 
V - Desenvolver projetos de extensão, especialmente, direcionados para a educação em comunicação, presenciais e/ou mediado pelas tecnologias digitais (EaD); 
VI - Promover cursos de aperfeiçoamento e especialização voltados para os profissionais da comunicação e do jornalismo; 
VII - Produzir materiais, tecnologias da informação e comunicação (TIC) e outros recursos didáticos; 
VIII - Contribuir para a reflexão e para a proposição de políticas públicas voltadas para a comunicação, o jornalismo e a educação; 
IX - Contribuir para a reflexão, elaboração e reestruturação dos projetos pedagógicos dos cursos de comunicação e jornalismo, preceituado pelas Diretrizes Curriculares Nacionais; 
X - Fomentar e fortalecer processos de mudanças e qualificação docente; 
XI - Realizar encontros científicos e seminários sobre o ensino e a formação em comunicação e jornalismo; 
XII - Produzir e divulgar trabalhos acadêmicos sobre comunicação, jornalismo e educação; 
XIII - Contribuir para a valorização dos profissionais da comunicação, do jornalismo e da educação;
XIV - Desenvolver ações voltadas para avaliar conteúdos, processos e condutas dos meios de comunicação e seus profissionais;
XV - Monitorar toda e qualquer pesquisa voltada para avaliar conteúdos, processos e condutas dos produtos jornalísticos veiculados por meios de comunicação e seus profissionais, a fim de produzir diagnósticos sobre a natureza e a qualidade deste trabalho. 

 

Linhas de Atuação

O Núcleo de Pesquisa e Extensão “Observatório de Pesquisas Aplicadas ao Jornalismo e ao Ensino” (Opaje), tendo como base acadêmica a pesquisa e a extensão de forma interdisciplinar, atua na confluência entre Comunicação, Jornalismo e Educação, sendo organizado a partir de quatro eixos e/ou linhas de ações:

Eixo 1: Processos formativos e de ensino em Comunicação, Jornalismo e Educação

Eixo 2: Políticas de formação e de ensino em Comunicação, Jornalismo e Educação

Eixo 3: Estudos culturais e contemporâneos em Comunicação, Jornalismo e Educação

Eixo 4: Tecnologias da Informação e da Comunicação Digitais, produtos e processos comunicacionais  

 
 

Integrantes

Docentes da UFT


Docentes Externos

Projetos de Pesquisa em Execução

2014 - Atual
Implementação do quadro de qualificações europeu na formação e no ensino de Comunicação Social e Jornalismo: estudo das estratégias de aplicação em Portugal
 
Descrição: O presente projeto de pesquisa, tendo como foco os processos de formação e o ensino em Comunicação Social e Jornalismo, tem como objetivos: compreender a dinâmica de transformação ocasionada pelo Quadro de Qualificações Europeu na formação e no ensino em Comunicação Social e Jornalismo em universidades portuguesas; comparar as estratégias de formação acadêmica em Portugal como caso ilustrativo do que vem ocorrendo na União Europeia no contexto do Processo de Bolonha, desencadeado desde 1998; estudar a dinâmica interna de universidades portuguesas na consolidação do Quadro de Qualificações Europeu; realizar trabalho documental com a coleta de fontes primárias, que deverão subsidiar estudos e relatórios sobre a temática; e, facilitar a geração de redes de pesquisadores com as universidades portuguesas.
 
Integrantes: Francisco Gilson Rebouças Pôrto Júnior (Coordenador)
 
Financiador: Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico
 
 
2014 - Atual
Formação e ensino em Comunicação Social e Jornalismo na era dos blocos regionais (Brics, CPLP/Palops, Mercosul e União Europeia)
 
Descrição: A noção de blocos regionais surge com intensidade nos anos 1990, forjada a partir dos ideais de polarização econômica, política e militar da então chamada Guerra Fria. Esses blocos regionais evoluíram ampliando seus escopos das áreas comercial e financeiro, para marcos mais regulatórios, políticos, de segurança e educacionais. Dessa forma, a constituição desses blocos regionais e as relações inter-regionais reforçam uma nova identidade mundial globalizada. A pesquisa de quatro anos intitulada Formação e ensino em Comunicação Social e Jornalismo na era dos blocos regionais (Brics, CPLP/Palops, Mercosul e União Europeia) tem como objetivo recolher, sistematizar e analisar as práticas de formação e ensino em Comunicação Social e Jornalismo nos blocos regionais, a saber: Brasil, Rússia, Índia, China e à África do Sul (Brics), Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) /Países Africanos de Língua Portuguesa (Palops), União Europeia e Mercado Comum do Sul (Mercosul).. 
 
Integrantes: Francisco Gilson Rebouças Pôrto Júnior (Coordenador) e Daniela Barbosa de Oliveira
 
 
2014 - Atual
Análise da cooperação entre organizações sociais alemãs e brasileiras para a promoção do ensino em comunidades tradicionais amazônicas
 
Descrição: As relações entre a Alemanha e o Brasil se constituíram a partir de 1960, mas foi a partir de 1980 que se exponenciou a formação de associações alemãs que passaram a investir no Brasil por meio de parcerias diretas com organizações sociais brasileiras. Diante deste contexto, problematiza-se "quais os reflexos do investimento de comunidades alemãs na promoção do ensino no Brasil?" e para se chegar à composição de tese que responda a problemática, estabelece-se como objetivo geral "analisar os reflexos dos investimentos voluntários de organizações sociais alemãs na promoção do ensino no Brasil". A pesquisa proposta é explicativa, ou seja vai determinar uma tese que sustentará resposta sobre a efetividade de tais investimentos, perpassando pelas necessárias fases exploratória (definição sustentada do fenômeno do investimento alemão em projetos educacionais de comunidades tradicionais amazônicas) e pela fase descritiva (abarcando os passos que levaram as organizações sociais brasileiras e alemãs a implementarem tal cooperação). A equipe de trabalho iniciará estudos bibliográficos (exploração bibliográfica) em livros, documentos e produções científicas que possam contribuir para o estabelecimento do estado da arte do tema pesquisado. Posteriormente, utilizando-se da técnica de estudo de caso investigará as relações internacionais de cooperação estabelecidas por uma organização social alemã em projetos educacionais de comunidades tradicionais amazônicas. Com a associação alemã ARABRAS (de assistência educacional) tomada como objeto de estudo de caso por meio da amostra não probabilistica intencional, a equipe irá mapear seus investimentos e levantar informações sobre a efetividade de seus resultados, para tanto serão analisados documentos (já foi autorizada análise de documentos e relatórios pela associação ARABRAS e seus parceiros no Brasil) e coletadas informações por meio de entrevistas com membros das comunidades beneficiadas, especialmente dentre egressos de projetos educacionais que receberam investimentos da Alemanha. As comunidades tradicionais (caracterizadas pelo Decreto 6040/2007) beneficiadas a serem visitadas e onde serão coletadas informações qualitativas são 1) Comunidade Tradicional de Remanescentes de Garimpo de Cristal de Pequizeiro (TO); 2) Comunidade Tradicional de Pescadores de Araguacema (TO); e 3) Comunidade Tradicional de Geraizeiros da região de Goianorte e Guaraí (TO). Com a análise dos resultados ter-se- ão subsídios para as respostas ao problema previamente estabelecido e para a consecução dos objetivos destacados. . 
 
Integrantes: Nelson Russo de Moraes (Coordenador) e Francisco Gilson Rebouças Pôrto Júnior 
 
 
2015 - Atual
Cultura e diversidade no filme Escolarizando o mundo
 
Descrição: Visa analisar como se apresenta a questão da diversidade cultural no filme Escolarizando o mundo. Trata-se de um documentário produzido em parceria americana e indiana, de 2011, dirigido por Carol Back e faz uma crítica ao processo de tentativa de homogeneização cultural levada a cabo pelo Ocidente. 
 
Alunos envolvidos: Graduação (1) 
 
Integrantes: João Nunes da Silva (Coordenador)
Projetos de Pesquisa Concluídos
 
2014 - 2015
Ensino de Comunicação Social/Jornalismo na União Europeia: sistematização da produção bibliográfica sobre o Processo de Bolonha e a formação em jornalismo no período de 1998 a 2005
 
Descrição: O Processo de Bolonha é considerado a maior mudança curricular em âmbito continental, alcançando 49 países-membros da União Europeia. A pesquisa tem como objetivo recolher, sistematizar e comentar a produção bibliográfica sobre o Processo de Bolonha, com foco na formação e na formação em Comunicação Social/Jornalismo. 
 
Alunos envolvidos: Graduação (7)
 
Integrantes: Francisco Gilson Rebouças Pôrto Júnior (Coordenador), Marina Parreira Barros Bitar, Maria Vitória Galvan Momo, Rogéria Martins Costa e Talita Melz.
 
Número de produções C, T & A: 3
 
 
2014 - 2015
Ensino de Comunicação Social/Jornalismo na União Europeia: sistematização da produção bibliográfica sobre o Processo de Bolonha e a formação em jornalismo no período de 2006 a 2015
 
Descrição: O projeto "Ensino de Comunicação Social/Jornalismo na União Europeia: sistematização da produção bibliográfica sobre o Processo de Bolonha e a formação em jornalismo no período de 2006 a 2015" é uma continuidade do projeto anterior "Ensino de Comunicação Social/Jornalismo na União Europeia: sistematização da produção bibliográfica sobre o Processo de Bolonha e a formação em jornalismo no período de 1998-2005". Parte-se do pressuposto que o Processo de Bolonha é considerado a maior mudança curricular em âmbito continental, alcançando 49 países-membros da União Europeia. A pesquisa tem como objetivo recolher, sistematizar e comentar a produção bibliográfica sobre o Processo de Bolonha, com foco na formação e na formação em Comunicação Social/Jornalismo. Para isso, utilizará como referencial metodológico o arcabouço teórico de Porto Jr. (2012), tendo como foco a organização das metas estruturantes do Processo com a Declaração de Sorbonne (1998), a organicidade dos princípios e objetivos em Bolonha (1999) e, posteriormente sua consolidação nos encontros de Londres (2007), Louvaine (2009) e Bucareste (2012). Para essa sistematização utilizar-se-á documentos produzidos pelo Bologna Follow-Up Group (BFUG), os relatórios e os textos de análise dos membros consultivos do Processo de Bolonha EI, ENQA, EQAR, EUA, EURASHE, bem como de outras entidades, tais como ESU e EC-EU, Coimbra Group Universitie, UNESCO-European Centre for Higher Education (UNESCO-CEPES) e de agências de garantia de qualidade, como a Association to Advance Collegiate Schools of Business (AACSB), Accreditation Board for Engineering and Technology (ABET), Academic Cooperation Association (ACA), Evaluation Council for Public Polytechnics (ADISPOR), Arab League Educational, Cultural and Scientific Organization (ALECSO), Agência Nacional de Avaliação da Qualidade e Acreditação (ANECA), Evaluation Council for Private Universities and Polytechnics (APESP), Accreditation of Prior Certificated Learning (APCL), Accreditation of Prior Experimental Learning (APEL), Accreditation of Prior Learning (APL) e da Agência Austríaca para a Garantia da Qualidade (AQA), dentre outras. Também serão consultadas as produções das universidades europeias com foco no Processo de Bolonha.
 
 
2014 - 2015
Avaliação de ambientes virtuais para o ensino de Comunicação Social/Jornalismo
 
Descrição: As tecnologias de informação e comunicação (TICs) potencializaram o ensino desenvolver ferramentas que permitem a formação em espaços não presenciais, mediados ou não pela presença humana, mas sobretudo, recheados de possibilidades. Esses espaços oferecerem cada vez mais recursos para a aprendizagem, porém diversas áreas ainda não se apropriaram desses como ferramentas complementares aos processos formativos. É o caso da Comunicação Social/Jornalismo. A presente pesquisa visa avaliar ambientes virtuais (estruturas, processos e resultados) para o ensino de Comunicação Social/Jornalismo, sobretudo os ambientes moodle e Chamilo.. 
 
Alunos envolvidos: Graduação (3) 
 
Integrantes: Francisco Gilson Rebouças Pôrto Júnior (Coordenador), Rodrigo Barbosa e Silva e Abrão de Souza.
 
 
Projetos de Pesquisa Concluídos
2013 - 2014
Gênero e diversidade no cinema: uma análise a partir da educação
 
Alunos envolvidos: Graduação (2) 
Integrantes: João Nunes da Silva (Coordenador)
 
 
2013 - 2014
A construção e desconstrução de mitos sobre a cultura africana no filme Kiriku e a feiticeira
Integrantes: João Nunes da Silva (Coordenador)
Projetos de Extensão em Execução
 
2015 - Atual
Programa Escola Livre de Jornalismo - 2ª edição
 
Descrição: O 'Programa Escola Livre de Jornalismo' tem como objetivo aproximar a comunidade acadêmica de comunicação social/jornalismo das escolas públicas, com foco no ensino de jornalismo e na prática jornalística, visando a publicização e popularização do que é desenvolvido por essa área do saber. Por meio de atividades formativas, se pretende criar uma cultura jornalística junto aos alunos das escolas públicas. Com esse programa pretende-se fortalecer a divulgação científica e a formação na área de jornalismo ao mesmo tempo em que se aproximam docentes, discentes da UFT e estudantes das escolas públicas.. 
 
Integrantes: Francisco Gilson Rebouças Pôrto Júnior (Coordenador),  Daniela Barbosa de Oliveira e João Nunes da Silva.
 
 
2015 - Atual
Vídeo nas escolas
 
Descrição: O projeto tem como objetivo a exibição de vídeos seguido de palestras nas escolas da Redes estadual e municipal de educação. Especificamente visa proporcionar espaços para reflexão a partir de videos voltados para as necessidades da escola e da sociedade. 
 
Alunos envolvidos: Graduação (1) 
 
Integrantes: João Nunes da Silva (Coordenador)
 
 
2013 – Atual
A construção e desconstrução de mitos sobre a cultura africana no filme Kiriku e a feiticeira
 
Descrição: Este projeto de pesquisa se coloca na perspectiva pedagógica com vistas a oferecer a oportunidade para ampliar a discussão e o conhecimento sobre a cultura africana. Dessa forma, esse estudo se apresenta como a possibilidade de subsidiar novos estudos, principalmente no campo da pedagogia com vistas a desconstruir imagens negativas e incoerentes sobre a cultura africana. 
Alunos envolvidos: Graduação (2) 
Integrantes: João Nunes da Silva (Coordenador)
 
 
2013 – Atual
Gênero e diversidade no cinema: uma análise a partir da educação
 
Descrição: O projeto gênero e diversidade no cinema visa analisar como se apresenta a questão de gênero e diversidade no cinema e qual suas implicações na perspectiva da pedagogia. 
 
Alunos envolvidos: Graduação (2) 
 
Integrantes: João Nunes da Silva (Coordenador)
 
 
2013 - Atual
Cine Clube UFT Arraias
 
Descrição: O Cineclube tem como objetivo a constituição de um circuito alternativo de cinema, exibindo filmes com temáticas pouco abordadas pelos meios comerciais e criar grupos de discussão para esses filmes. O enfoque principal é despertar o espírito idealista e crítico dos participantes, levando em conta o contexto social, cultural e socioeconômico do Estado do Tocantins. 
 
Alunos envolvidos: Graduação (1)
 
Integrantes: João Nunes da Silva (Coordenador)
 
 
2013 - Atual
Formação Continuada dos profissionais da Educação - Ciclo de Palestras & Áudio Visual
 
Descrição: O projeto objetiva propiciar debates a partir da exibição de curtas nas escolas da rede municipal e estadual de Arraias e entorno. A carência de grande parte da população no que diz respeito ao conhecimento crítico e reflexivo justifica este projeto focado em palestras e exibição de vídeos nas escolas num importante instrumento de formação e mobilização da sociedade.. 
 
Alunos envolvidos: Graduação (1) 
 
Integrantes: João Nunes da Silva (Coordenador) e Valdimaria Ribeiro Costa.
Projetos de Extensão Concluídos
 
2014
Programa Escola Livre de Jornalismo - 1ª edição
 
Descrição: O 'Programa Escola Livre de Jornalismo' tem como objetivo aproximar a comunidade acadêmica de comunicação social/jornalismo das escolas públicas, com foco no ensino de jornalismo e na prática jornalística, visando a publicização e popularização do que é desenvolvido por essa área do saber. Por meio de dez atividades formativas, se pretende criar uma cultura jornalística junto aos alunos das escolas públicas. Serão desenvolvidas as seguintes formações: 1.Pauta e entrevista jornalística; 2.A narrativa jornalística; 3. Jornalismo de opinião e ética; 4.Fotografia; 5. Radiojornalismo; 6.Telejornalismo; 7. Jornalismo Multimídia; 8.Jornalismo social, cultural e político; 9.Redes sociais e 10.Jornalismo internacional temáticas contemporâneas. Com esse programa pretende-se divulgar a formação na área de jornalismo ao mesmo tempo em que se aproximam docentes, discentes da UFT e estudantes das escolas públicas.
 
Alunos envolvidos: Graduação (24) 
 
Integrantes: Francisco Gilson Rebouças Pôrto Júnior (Coordenador), José Eduardo de Azevedo Gomes Rodrigues, Judivan Alves Ferreira e Daniela Barbosa de Oliveira.
Incubadora  
Projetos de Desenvolvimento em Execução
 
2015 - Atual
Revista Observatório
 
Descrição: A Revista Observatório é uma publicação quadrimestral do Núcleo de Pesquisa e Extensão Observatório de Pesquisas Aplicadas ao Jornalismo e ao Ensino (OPAJE) da Universidade Federal do Tocantins (UFT) que tem como missão atuar na promoção da discussão acadêmica e de estudos interdisciplinares avançados no campo da Comunicação, do Jornalismo e da Educação. Possui editores na UFT, UNESP, Universidade do Minho (Portugal), Universidade Eduardo Mondlane (Moçambique) e Universidade do Cabo (Cabo Verde). O propósito da Revista Observatório é constituir-se como um periódico acadêmico a fim de apresentar, na forma de artigos científicos, resultados de pesquisas e estimular debates sobre questões teórico-metodológicas da pesquisa em Comunicação, Jornalismo e Educação, ao mesmo tempo em que se propõe a contribuir para a criação e fortalecimento de uma rede de pesquisadores na confluência dessas áreas em nível nacional e internacional, tendo por base os grupos e núcleos de pesquisa no Brasil e no Exterior. A revista se pauta no princípio da democratização do conhecimento científico incentivando o acesso público, imediato e livre a todo o seu conteúdo publicado.. 
 
Integrantes: Francisco Gilson Rebouças Pôrto Júnior (Coordenador), Cynthia Mara Miranda, Nelson Russo de Moraes e João Nunes da Silva.
 
 
2015 - Atual
Repositório Digital da Rede Internacional de Pesquisadores sobre Bolonha (Rebol)
 
Descrição: Desenvolvimento de repositório digital para a Rede Internacional de Pesquisadores sobre Bolonha (Rebol) visando a divulgação da produção científica sobre o Processo de Bolonha. O repositório é hospedado na Universidade Federal do Tocantins (UFT), junto a Biblioteca Central.
 
Integrantes: Francisco Gilson Rebouças Pôrto Júnior (Coordenador), Rodrigo Barbosa e Silva, Daniela Barbosa de Oliveira, Nelson Russo de Moraes e João Nunes da Silva.
 
 
2015 - Atual
Incubadora de Projetos Pedagógicos e Inovação para Escolas de Ensino Fundamental e Médio
 
Descrição: O Projeto Incubadora de Projetos Pedagógicos e Inovação para Escolas de Ensino Fundamental e Médio tem como objetivo aproximar a comunidade acadêmica de cursos da UFT e pesquisadores do Núcleo de Pesquisa e Extensão Observatório de Pesquisas Aplicadas ao Jornalismo e ao Ensino (Opaje-UFT) das escolas públicas e da comunidade tradicionais, com foco na transferência de expertise, visando a publicização e popularização do que é desenvolvido pela ciência. Além disso, o projeto visa proporcionar o empoderamento de professores e alunos para o acesso e a apropriação comunitária de tecnologias sociais e bens informacionais que os habilitem a desenvolver projetos pedagógicos e de inovação em suas comunidades. Por meio de suporte teórico-prático e acompanhamento, se pretende criar uma cultura da criação e inovação junto aos professores e alunos das escolas públicas. Com esse projeto pretende-se divulgar a formação na área de pesquisa e inovação ao mesmo tempo em que se aproximam docentes, discentes da UFT, estudantes das escolas públicas e membros das comunidades tradicionais.. 
 
Integrantes: Francisco Gilson Rebouças Pôrto Júnior (Coordenador), Rodrigo Barbosa e Silva, Daniela Barbosa de Oliveira e João Nunes da Silva.
 
Projetos Concluídos
  Graduação Orientações
Curso de Especialização
  Orientações Mestrado
  Orientações Especialização
 GP Democracia
Regimento

REGIMENTO INTERNO DO NÚCLEO DE PESQUISA E EXTENSÃO “OBSERVATÓRIO DE PESQUISAS APLICADAS AO JORNALISMO E AO ENSINO” (OPAJE-UFT)


Os integrantes do Núcleo de Pesquisa e Extensão “Observatório de Pesquisas Aplicadas ao Jornalismo e ao Ensino” (Opaje-UFT), Campus de Palmas, aprovam o presente regimento interno.

Art. 1º. Este Regimento Geral regulamenta a organização e funcionamento do Núcleo de Pesquisa e Extensão “Observatório de Pesquisas Aplicadas ao Jornalismo e ao Ensino” (Opaje), instalado no Campus de Palmas, da Universidade Federal do Tocantins.

CAPÍTULO I
DAS FINALIDADES E OBJETIVOS

Art. 2º. O Núcleo de Pesquisa e Extensão “Observatório de Pesquisas Aplicadas ao Jornalismo e ao Ensino” (Opaje) é um organismo integrante da Fundação Universidade Federal do Tocantins – UFT com propostas multi e interdisciplinares, multicampi, destinado a coordenar e executar atividades de pesquisa e extensão em áreas afins, visando o desenvolvimento de tecnologias e ações a fim de atender as demandas do Estado, melhorando a qualidade de vida e as condições socioeconômicas da sociedade em geral, destinando-se prioritariamente a desenvolver pesquisas interdisciplinares na área de Comunicação e Educação e áreas afins.

Art. 3º. O Opaje tem os seguintes objetivos:
I - Incentivar e promover atividades de pesquisa e divulgação científica no âmbito regional, estadual, nacional e internacional em consonância com a missão da Universidade Federal do Tocantins – UFT;
II - Ampliar, no âmbito da Amazônia Legal, o quadro de professores-pesquisadores, otimizando qualitativamente as atividades de ensino, pesquisa e extensão nesta região;
III - Consolidar o desenvolvimento da pesquisa científica, sobretudo, a de caráter interdisciplinar na área de Comunicação, Jornalismo e Educação, multi e intercampi, conseqüentemente, na Universidade Federal do Tocantins – UFT;
IV - Promover a realização de atividades de extensão – seminários, conferências, painéis, simpósios, encontros, palestras, oficinas, cursos de extensão e de pós-graduação e exposições – direcionados às áreas de atuação do Núcleo;
V - Editar e publicar periódico científico online divulgando o resultado de pesquisas e estudos desenvolvidos pelos integrantes do Núcleo;
VI - Fazer intercâmbio dos resultados de pesquisas, publicações e professores com a comunidade científica em geral;
VII - Implantar cursos de Pós-Graduação lato e stricto sensu;
VIII - Contribuir para a formação de grupos de estudo na área de comunicação, jornalismo e educação; 
IX - Desenvolver hábitos de colaboração de trabalhos e estudos de forma interdisciplinar, transdisciplinar e multidisciplinar; 
X - Prestar assessoria aos profissionais da comunicação e da educação; 
XI - Desenvolver parcerias com instituições e profissionais da comunicação e da educação; 
XII - Desenvolver projetos de extensão, especialmente, direcionados para a educação em comunicação, presenciais e/ou mediado pelas tecnologias digitais (EaD); 
XIII - Promover cursos de aperfeiçoamento e especialização voltados para os profissionais da comunicação e do jornalismo; 
XIV - Produzir materiais, tecnologias da informação e comunicação (TIC) e outros recursos didáticos; 
XV - Contribuir para a reflexão e para a proposição de políticas públicas voltadas para a comunicação, o jornalismo e a educação; 
XVI - Contribuir para a reflexão, elaboração e reestruturação dos projetos pedagógicos dos cursos de comunicação e jornalismo, preceituado pelas Diretrizes Curriculares Nacionais; 
XVII - Fomentar e fortalecer processos de mudanças e qualificação docente; 
XVIII - Realizar encontros científicos e seminários sobre o ensino e a formação em comunicação e jornalismo; 
XIX - Produzir e divulgar trabalhos acadêmicos sobre comunicação, jornalismo e educação; 
XX - Contribuir para a valorização dos profissionais da comunicação, do jornalismo e da educação;
XXI- Desenvolver ações voltadas para avaliar conteúdos, processos e condutas dos meios de comunicação e seus profissionais;
XXII - Monitorar toda e qualquer pesquisa voltada para avaliar conteúdos, processos e condutas dos produtos jornalísticos veiculados por meios de comunicação e seus profissionais, a fim de produzir diagnósticos sobre a natureza e a qualidade deste trabalho. 


Art. 4º. O Opaje está estruturado tendo como base acadêmica a pesquisa e a extensão de forma interdisciplinar atuando na confluência entre Comunicação, Jornalismo e Educação.

CAPÍTULO II
DA ESTRUTURA ORGANIZACIONAL

Seção I
Do Núcleo de Pesquisa e Extensão

Art. 5º. Compete aos integrantes do Opaje:
I - Participar de todas as atividades científicas e de extensão desenvolvidas pelo Núcleo;
II - Participar das reuniões ordinárias e extraordinárias;
III - Votar e ser votado nas eleições para Coordenador Geral do Núcleo;
IV - Apresentar projetos de pesquisa e extensão para o fortalecimento e consolidação das ações do Núcleo;
V - Divulgar o Opaje em eventos científicos;
VI - Participar da organização de eventos do Núcleo;
VII - Contribuir na elaboração dos meios de divulgação científica do Núcleo;
VIII - Apresentar artigos resultantes de projetos de pesquisa e extensão para publicação em periódicos qualificados.


Seção II
Da Estrutura Administrativa

Art. 6º. O Opaje possui a seguinte Estrutura Administrativa:
I – Coordenador(a) Geral;
II – Coordenador(a) Administrativo(a);
III – Coordenador(a) Científico(a).

Art. 7º. A Coordenadoria Geral do Opaje será exercida por professor(a) pesquisador(a) membro do Núcleo de Pesquisa, indicado pelos demais e nomeado pelo reitor da UFT, de acordo com as normas vigentes, por um mandato de dois anos, podendo ser reconduzido(a).

Art. 8º. Compete ao(à) Coordenador(a) Geral:
I - Coordenar as pesquisas do Núcleo;
II - Executar as deliberações do(s) grupo(s) de pesquisa vinculado(s) ao Núcleo;
III - Propor, elaborar, executar e avaliar convênios com outras instituições, públicas ou privadas, nacionais ou internacionais, em conjunto com a administração superior da UFT;
IV - Diagnosticar a situação das diversas áreas do Núcleo no que se refere a necessidades, formação ou qualificação de recursos humanos, provendo a sua otimização;
V - Promover a integração acadêmica com os diferentes cursos da UFT em nível de graduação e pós-graduação;
VI - Presidir e convocar as reuniões do Núcleo;
VII - Aprovar as despesas do Núcleo. 

Art. 9º. Compete ao(à) Coordenador(a) Administrativo(a):
I - Dirigir, coordenar e responder pelos aspectos administrativos do Núcleo;
II - Sistematizar o acompanhamento das diferentes atividades do Núcleo.

Art. 10. Compete ao(a) Coordenador(a) Científico(a):
I - Preparar as minutas de convênios e intercâmbios científicos;
II - Efetivar intercâmbio com instituições científicas de ensino superior, empresas e órgãos nacionais e internacionais;
III - Elaborar relatório semestral de desempenho das atividades realizadas pelo
Núcleo;
IV - Efetivar cursos de pós-graduação nas áreas e linhas de pesquisa do Núcleo;
V - Organizar, juntamente com o Coordenador Geral, os periódicos científicos do Opaje.
VI - Elaborar o relatório de atividades anuais às Câmaras de Pesquisa e Pós-graduação e de Extensão e Cultura para apreciação técnica.

Seção III
Das Reuniões

Art. 11. A pauta da reunião será elaborada e encaminhada pelo(a) Coordenador(a) Geral, que deverá distribuir cópias físicas e/ou por e-mail aos demais membros.

Art. 12. O Núcleo deverá ter pelo menos uma reunião ordinária por semestre, podendo para isso utilizar meios digitais. 

Parágrafo único. As reuniões extraordinárias poderão ser convocadas pelo presidente ou por 2/3 (dois terços) de seus integrantes.

Art. 13. A cada reunião será lavrada, pelo(a) Coordenador(a) Administrativo(a), uma ata que será deliberada pelo núcleo na reunião subseqüente.

 

CAPÍTULO II
Das Eleições

Art. 14. Qualquer professor(a) pesquisador(a), membro do Núcleo, poderá indicar e ser indicado na eleição para Coordenador(a) Geral. O sistema de escolha é por indicação direta dos integrantes do Núcleo.

Parágrafo 1°. O processo eletivo será conduzido por uma Comissão, composta por 3 (três) membros, designados pelo Coordenador Geral.

Parágrafo 2°. Os Coordenadores Administrativo e Científico serão designados pelo Coordenador Geral e aprovados em reunião por todos os membros presentes.


CAPÍTULO III
Das Publicações, dos Eventos e Similares

Art. 15. Compete aos integrantes do Opaje, em relação a publicações, eventos e similares o que segue:
I - Citar, em todas as comunicações e trabalhos resultantes de suas pesquisas, seu vínculo com o Núcleo;
II - Encaminhar ao Coordenador Científico os trabalhos e publicações científicas enviados para publicação e separadas daqueles publicados, resultantes de pesquisas desenvolvidas no Opaje.

Seção I
Da Biblioteca Virtual Setorial

Art. 16. A Biblioteca Virtual Setorial do Opaje será dirigida pelo Coordenador Administrativo, sendo de sua competência:
I - Zelar pelo acervo digital existente e demais bens patrimoniais da Unidade;
II - Zelar pela ordem e disciplina no âmbito da Unidade, encaminhando, quando for o caso, as medidas necessárias à Coordenação Geral do Núcleo, respeitadas as normas vigentes, para a solução do problema;
III - Encaminhar, em consonância com o Coordenador Científico, listagem de livros e periódicos para aquisição;
IV - Criar e/ou alterar as normas de funcionamento da Unidade;
V - Divulgar aos usuários as normas de funcionamento da Unidade;
VI - Fazer cumprir o exposto nas normas de funcionamento;
VII - Responsabilizar e executar outras atividades inerentes à Unidade.

Seção II
Dos Laboratórios Especializados

Art. 17. Caberá ao Núcleo de Pesquisa e Extensão “Observatório de Pesquisas Aplicadas ao Jornalismo e ao Ensino” (Opaje)  a criação, planejamento e implantação de Laboratórios Especializados, fruto de projetos financiáveis desenvolvidos pelos seus membros.

Art. 18. Qualquer professor(a) pesquisador(a) integrante do núcleo poderá propor a criação de um Laboratório Especializado, que será considerado como uma unidade interna do Núcleo, sendo responsável pelo mesmo, com as seguintes competências:
I - Zelar pelos bens patrimoniais e materiais locados na Unidade;
II - Zelar pela ordem e disciplina no âmbito da Unidade, encaminhando, quando for o caso, as medidas necessárias à Coordenação Geral do Opaje, para a solução do problema;
III - Zelar pelos bens patrimoniais emprestados de outras unidades e devolvê-los após o uso;
IV - Responsabilizar-se pelas atividades relacionadas aos projetos em execução, respeitando o cronograma aprovado pela instância financiadora;
V - Cumprir e fazer cumprir as normas determinadas pela Coordenação Geral do Opaje;
VI - Encaminhar em tempo hábil à Coordenação Administrativa, a listagem de materiais de consumo e/ou de serviços, necessários para o desenvolvimento das atividades relacionadas à Unidade e aos projetos em execução, citando quantidade, especificação detalhada, preço (se possível) e programa/projeto;
VII - Responsabilizar e executar outras atividades inerentes à Unidade.

 

CAPÍTULO IV
Da execução financeira

Art. 19. O Opaje não cobra taxa de adesão ao Núcleo.

Art. 20. O Opaje conta com o gerenciamento financeiro de cursos de especialização ou de extensão e pesquisa mediante convênio estabelecido em contrato. 

Art. 21. As despesas deverão ser autorizadas pelo Coordenador do Núcleo. 

Art. 22. Caberá ao Coordenador do Opaje decidir sobre os recursos financeiros do Núcleo destinados a projetos, cursos e eventos, após aprovação em Assembleia Geral dos seus membros integrantes efetivos.

Art. 23. Decisões que fogem à rotina serão submetidas à apreciação da Coordenação do Opaje.

Art. 24. Os recursos financeiros destinados ao Opaje serão operacionalizados prioritariamente pela Fundação de Apoio Científico e Tecnológico do Tocantins – Fapto e, na sua ausência, por outra instituição aprovada pela Universidade Federal do Tocantins.

Art. 25. Os coordenadores de projetos e programas ligados ao Opaje deverão elaborar relatório financeiro e emitir prestação de contas para a Fundação de Apoio Científico e Tecnológico do Tocantins – Fapto e, na sua ausência, por outra instituição aprovada pela Universidade Federal do Tocantins e a Coordenação Geral do Opaje. 


CAPÍTULO V
Da assembleia geral

Art. 26. A assembleia Geral do Opaje é o órgão máximo deliberativo do Núcleo formado pelos membros efetivos, colaboradores e convidados.

Art. 27. Somente os membros efetivos terão direito a voto nas reuniões da Assembleia Geral.

Art. 28. A assembleia geral do Opaje se reunirá, ordinariamente, uma vez por ano e, extraordinariamente, sempre que a Coordenação Geral convocar ou pelo menos um 1/5 (um quinto) dos membros efetivos do Núcleo a convocarem.

Art. 29. É da competência da Assembleia Geral do Opaje apreciar e aprovar o Plano de trabalho Anual do Núcleo, bem como Relatório Anual de Atividades do Núcleo, além de eleger a Coordenação do Núcleo e deliberar sobre outros assuntos de interesse do Opaje e/ou da UFT.

 

CAPÍTULO VI
Da Extinção do Núcleo

Art. 30. O Opaje poderá ser extinto conforme a Resolução do Consepe vigente ou por deliberação de 2/3 (dois terços) de seus membros em Assembleia Geral, convocada especialmente para este fim.

Parágrafo único: Em caso de extinção do Opaje seu patrimônio ficará sob a guarda dos campi da Universidade Federal do Tocantins (UFT) em que foram desenvolvidas as pesquisas e atividades ou, em caso de anuência dos campi envolvidos, para o Curso de Comunicação Social/Jornalismo, do campus de Palmas. 

 

CAPÍTULO VII
Das Disposições Gerais

Art. 31. Os equipamentos adquiridos com recursos dos projetos, convênios, assessorias, cursos e doações estarão vinculados ao Opaje e incluídos no Patrimônio da UFT.

Art. 32. Este Regimento poderá ser alterado a qualquer tempo para contemplar as atualizações legais, jurídicas e acadêmicas, mediante a apresentação e a aprovação da Assembleia Geral, ratificado pelo Colegiado do Curso Comunicação Social do Campus Universitário de Palmas da Universidade Federal do Tocantins.

Art. 33. Este Regimento entra em vigência a partir de sua aprovação pelo Colegiado do Curso de Comunicação Social, revogando-se as disposições em contrário.

Contatos

Universidade Federal do Tocantins (UFT)
Núcleo de Pesquisa e Extensão "Observatório de Pesquisas Aplicadas ao Jornalismo e ao Ensino" (Opaje) 

  • Coordenador Geral: Prof. Dr. Francisco Gilson Rebouças Pôrto Junior
    Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo. / Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo. 
  • Coordenadora Administrativa: Profa. Dra. Cynthia Mara Miranda
    Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo. 
  • Coordenador Científico: Prof. Dr. João Nunes da Silva
    Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo. 

Integrantes

registrado em:
Fim do conteúdo da página