Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Últimas Notícias > Programa Samba Lelê chega ao seu 20º episódio com alcance nacional
Início do conteúdo da página
rádio uft

Programa Samba Lelê chega ao seu 20º episódio com alcance nacional

Por Gihane Scaravonatti | Publicado: Segunda, 24 de Agosto de 2020, 15h22 | Última atualização em Segunda, 24 de Agosto de 2020, 20h12

No último sábado (22), o programa de rádio Samba Lelê chegou ao seu 20º episódio, e as idealizadoras do projeto - as professoras Renata Ferreira (Curso de Licenciatura em Teatro) e Amanda Leite (Curso de Pedagogia) - têm muito a comemorar! O Programa, veiculado todos os sábados, às 9h, pela Rádio UFT FM 96,9 - com reprises aos domingos, no mesmo horário -, já registra alcance de ouvintes em outras regiões do Brasil. "Seja sintonizando a rádio ao vivo, nos finais de semana, ou acessando os podcasts, os ouvintes do Tocantins e de outros lugares do país têm usufruído de produções musicais diferenciadas e divertidas, focadas no público infantil", destaca Renata. O projeto é fruto de trabalhos de pesquisa e extensão das professoras, ambas também atuantes no Programa de Pós-Graduação em Comunicação (PPGCom) do Câmpus de Palmas. 

Programa musical infantil conquista também gente grande e ouvintes de fora do Tocantins

A cada edição, o Samba Lelê oferece discotecagem de músicas infantis e a apresentação do projeto musical escolhido para o episódio, com comentários, informações, análise e curiosidades. “O programa superou as expectativas, aguçou a curiosidade do público infanto-juvenil, proporcionando-lhes conhecer, de forma lúdica, o universo de nossa música e seus compositores”, comenta o coordenador e maestro da orquestra jovem da Guarda Metropolitana de Palmas, José Rênison Oliveira da Silva. 

Já a professora Amanda Valiengo, da Universidade Federal de São João Del Rei, em Minas Gerais (MG), revela utilizar o conteúdo do Programa em sua disciplina de Musicalização Infantil para a formação de novos professores. “Uma das coisas mais importantes na formação é a ampliação e apreciação de repertório. Adoro o programa porque é sensível, alegre e diversificado. Espero por ele, com sentimentos do tipo 'será que hoje vem um álbum musical que já conheço? Oba! Hoje é um novo!' Parabéns e vida longa ao programa!”

Segundo as idealizadoras, o projeto teve mesmo a intenção de se tornar também material didático, conquista que se confirma na fala de outra professora, Isabel Beirois, do Centro Universitário de São José, em Santa Catarina (SC): “Samba Lelê não só inovou, de modo contextualizado e impecável, nosso repertório musical para crianças, como criou uma atmosfera de acolhimento e alegria na abertura e encerramento das aulas remotas para o curso de Pedagogia, em tempos tão difíceis de isolamento.”

A também professora catarinense Jeanice Bulik utilizou um episódio do Samba Lelê em uma de suas aulas virtuais com as crianças: “Estamos nos reinventando e com muito esforço, mas, vale a pena, pois encontramos profissionais que nos inspiram também. Apresentei aos meus alunos o primeiro episódio do Programa, desafiando-os a criarem movimentos com o corpo. E não é que aceitaram o desafio?!”

Conquistando crianças e adultos, o Samba Lelê tem sido uma opção saudável de entretenimento aos finais de semana e uma oportunidade para pais e filhos, por exemplo, usufruírem de um momento musical aconchegante juntos: “Tem sido uma experiencia deliciosa acompanhar os programas! Cada um deles recheado de doces surpresas que me fazem relembrar a minha infância e das minhas filhas. Parabéns às idealizadoras do projeto!”, comenta a ouvinte Ana Claudia da Silva Gubert (SC). E, para quem ainda não conhece o programa, fica a dica da artista, mãe e professora da Universidade Federal de Uberlândia (UFU) Mariene Perobelli: “Samba Lelê é um convite à brincadeira em família regada à musicalidade da melhor qualidade que há no Brasil. A curadoria do programa é impecável. Sambemos, brinquemos, dancemos, cantemos, crianças de 0 a 100 anos!”, diz, animada. 

Sobre o Samba Lelê

O programa Samba Lelê fez sua estréia em abril deste ano, na Rádio UFT FM. Renata e Amanda desenvolveram a ideia em meio a uma série de ações propostas, por elas, no contexto da Covid-19, no intuito de ofertar à comunidade, em geral, opções educativas e culturais em plataformas tecnológicas, que não preveem o contato físico. O Samba Lelê já apresentou vinte dos trinta programas previstos, trazendo pesquisas musicais bastante diversificadas, como, por exemplo, o rock psicodélico do projeto musical Pequeno Cidadão, a percussão corporal do Grupo Barbatuques, cantigas populares brasileiras da Cia Cabelo de Maria e o som do funk produzido pela menina Elis Mc. O Programa pode ser acompanhado aos sábados e domingos, às 9h, na UFT FM - sintonizando-se 96,9 - ou pela página da emissora. Todos os podcasts dos episódios também podem ser acessados pelos sites www.renataferreiraatriz.com.br e www.amandaleite.com.br, onde as professoras partilham diversos de seus trabalhos artísticos e também de ensino, pesquisa e extensão. 

 

registrado em:
Fim do conteúdo da página