Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Últimas Notícias > Projeto de pós-doutoramento oportuniza Residência Artística em Campinas (SP)
Início do conteúdo da página
FOTOGRAFIA

Projeto de pós-doutoramento oportuniza Residência Artística em Campinas (SP)

Por Gihane Scaravonatti | Publicado: Segunda, 12 de Novembro de 2018, 15h11 | Última atualização em Segunda, 12 de Novembro de 2018, 15h58


Obra de Marli Wunder no Centro Cultural Casarão em Campinas (SP)

Uma Residência Artística é um dos desdobramentos do projeto de pós-doutoramento da professora Amanda Leite - do Programa de Pós-Graduação em Comunicação e Sociedade (PPGCom) e do Curso de Pedagogia da Universidade Federal do Tocantins (UFT). A atividade será realizada nos dias 24 e 25 de novembro no Centro Cultural Casarão em Campinas (SP) e é gratuita para quaisquer interessados, que devem contatar a professora pelo e-mail Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo..

A pesquisa, que gerou a ação denominada "Cartografias inventivas e o devir-planta", vem sendo realizada no Departamento de Educação, Conhecimento, Linguagem e Arte da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) e é relacionada à obra da multiartista Marli Wunder. Segundo Amanda, a atividade também consolida parcerias artístico-educativas entre a UFT e a Unicamp. Embora as ações da Residência Artística sejam gratuitas, os participantes devem arcar com suas despesas de locomoção, hospedagem e alimentação.

Proposta da residência artística

Com o olhar sobre as obras fotográficas de Marli Wunder - que também estará no Centro Cultural Casarão com a exposição “Casa-planta” a partir de 23 de novembro -, a residência "Cartografias inventivas e o devir-planta" promoverá encontros e partilhas entre artistas e pesquisadores, estimulando uma diversidade de processos criativos. A proposta é parte do projeto de pós-doutoramento da professora Amanda Leite sobre a obra da artista* . Segundo a professora, o evento se quer um espaço para o “exercício de livre experimentação que deseja pensar, escrever, inventar e deslocar o corpo criativo a outros lugares”, além de ser uma oportunidade de “fomentar criações e projetos que encurtem a nossa distância geográfica e nos aproximem do fazer artístico”, já que conecta interesses de pesquisa entre duas universidades, sendo uma da região Norte e outra do Sudeste do país. Confira a programação da Residência Artística:

PROGRAMAÇÃO

Local: Centro Cultural Casarão – Campinas- SP
R. Maria Ribeiro Sampaio Reginato, S/N, Campinas - SP, 13085-608
Telefone: (19) 3287-6800
__________

23/11/18 - Sexta-feira

19h – Lançamento da Exposição “Casa-Planta” de Marli Wunder e lançamento do site da artista - criação: Amanda Leite

20h - Lançamento do Cd “Anambé” de Grazi Nervegna
_________

24/11/18 - Sábado

9h – Café da manhã coletivo

Exposição Casa-Planta

10h: Roda de conversa com pesquisadores/as e artistas

12h30 – Almoço

14h30 - 18h30 – Oficina “Entre folhas e fios”: inventos coletivos (Marli Wunder e Bené Fonteles)
___________

25/11/18 - Domingo

8h30 – Café da manhã coletivo

9h – 10h30 - Desvelar: corpo e devir-natureza (Renata Ferreira / Eliana Kefalás)

10h50-12h - Escrita poética e… (Alda Romaguera/Davina Marques/Davi Codes)

12h30 – Almoço

14h30 – 15h30 –Linhas caminhantes (Coletivo Tecendo - Ivete/Michele)

16h – 18h30 Partilhas das criações, sensações, atravessamentos e... Conversas afins: o alinhavar de pesquisas e projetos futuros

*Intitulada "Marli Wunder: entre fios, imagens e processo criativo", a pesquisa investiga a Fotografia no contexto de formação artística e educativa na obra da artista.

Parceria

Amanda Leite (d) com a artista Marli Wunder (Foto: Divulgação)Amanda Leite (à direita) com a artista Marli Wunder (Foto: divulgação) A parceria artístico-educativa entre a UFT e a Unicamp, resultante da pesquisa de Amanda Leite, também apresenta novas possibilidades de projetos. Uma das propostas é trazer Marli Wunder a Palmas, realizando a residência artística "Cartografias inventivas e o devir-planta". A ação está prevista para o primeiro semestre de 2019 e será organizada pelos grupos de pesquisa da UFT “Transver - Estudos de Fronteira entre Educação, Comunicação e Artes” e “Coletivo 50 graus - Pesquisa e Prática Fotográfica” em parceria com o PPGCom e o Curso de Pedagogia. O objetivo, ressalta Amanda, é promover o encontro da artista Marli Wunder com professores, pesquisadores e estudantes da cidade, além da oferta de palestras, oficinas e workshops a serem promovidos pela pesquisadora.

Sobre a pesquisadora

Doutora e mestre em Educação pelo Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), pós-doutoranda no Departamento de Educação, Conhecimento, Linguagem e Arte da Unicamp, Amanda Leite é pesquisadora e professora no Programa de Pós-Graduação em Comunicação e Sociedade e no Curso de Pedagogia da UFT. Fotógrafa formada pelo Departamento Artístico Cultural da UFSC, busca aproximar a fotografia com as práticas educativas e pensamentos filosóficos.

Por meio de seu trabalho, apresenta um tipo de “fotografia latente”, que mescla realidade e ficção, desassossegando o olhar do espectador. Para Amanda, a fotografia “será sempre um convite a outras leituras, comunicará algo, irá propor relações”, uma vez que “sua porosidade e característica inacabada permitem que crie um processo circular e se reinvente a cada nova mirada”. Ao pensar a produção das visualidades contemporâneas, sua obra reflete a relação entre a Fotografia e o sujeito contemporâneo.

Dentro de seu projeto de pós-doutoramento, a proposta tem sido estudar a fotografia contemporânea e o processo criativo, para, a partir disso, investigar a fotografia experimental, os diferentes modos de composição, observar as relações entre espectador e imagem, e, ainda, dar visibilidade às conexões entre Educação, Comunicação e Arte, áreas em que a pesquisadora Amanda Leite atua e representa a UFT nesta parceria interinstitucional. A pesquisa, também, abre passagem para se pensar a produção artística feminina em universos predominados por homens - como é o caso da Fotografia. Assim, “estudar a produção de uma fotógrafa brasileira é bastante atraente e possibilita estimular conexões entre o fazer artístico e práticas interdisciplinares educativas”, complementa Amanda.

Fim do conteúdo da página
-->