Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Últimas Notícias > PET de Zootecnia e RU lançam campanha contra desperdício de comida
Início do conteúdo da página
ARAGUAÍNA

PET de Zootecnia e RU lançam campanha contra desperdício de comida

Por Samuel Lima | Publicado: Segunda, 12 de Novembro de 2018, 09h06 | Última atualização em Segunda, 12 de Novembro de 2018, 12h06
// // //

Campanha montou um pequeno estande demonstrativo representando a quantidade de alimento desperdiçado (Foto: Divulgação / PET Zootecnia)Campanha montou um pequeno estande demonstrativo representando a quantidade de alimento desperdiçado (Foto: Divulgação / PET Zootecnia)Uma campanha contra o desperdício de comida foi lançada pelo Programa de Educação Tutorial (PET) do curso de Zootecnia e o Restaurante Universitário (RU) da Escola de Medicina Veterinária e Zootecnia (EMVZ) do Câmpus da UFT em Araguaína. Segundo a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO), cerca de 30% dos alimentos produzidos no planeta são desperdiçados, o que dá em torno de 1,3 bilhão de toneladas de comida perdidos. A intenção da campanha no RU em Araguaína é reduzir o desperdício e também conscientizar os usuários para a necessidade da utilização consciente dos alimentos. Na última semana, a campanha distribuiu um brinde para quem não deixou nada no prato.

A campanha promoveu a pesagem de restos de comida durante 30 dias na unidade e  computou que foram desperdiçados 654 quilos de alimentos, o que daria para alimentar quase 1,2 mil pessoas. A nutricionista do RU, Thalita Lin Netto Cândido, informou que a pesagem levou em conta apenas a alimentação servida no RU da EMVZ. Nas duas unidades (Cimba e EMVZ) são servidas cerca de 900 refeições por dia; na EMVZ a média é de 400 refeições, segundo a nutricionista. "É importante que, com a campanha, os usuários mudem de atitude e passem a refletir sobre a utilização consciente dos alimentos que são jogados no lixo e poderiam ser utilizados para alimentar centenas de pessoas", diz a nutricionista.

A professora Ana Cláudia Gomes Rodrigues Neiva, que coordena o PET, destacou que o número de pessoas em situação de vulnerabilidade alimentar é muito grande tanto no Brasil quanto no mundo. "Como o Restaurante Universitário da UFT integra a política nacional do Programa Nacional de Assistência Estudantil (Pnaes), no qual os estudantes têm acesso a uma alimentação com qualidade nutricional e parcialmente ou integralmente subsidiada pela instituição como uma forma de garantir a permanência estudantil na universidade, não é justo que alimentos prontos sejam jogados no lixo", diz a docente.

Ela enfatizou que a campanha visa conscientizar os usuários do RU sobre a importância da redução do desperdício dos alimentos servidos (o que é deixado nos pratos). Segundo Ana Cláudia, o desperdício apenas no período de 30 dias em que foi feita a pesagem dos restos chega a R$ 9,5 mil (tomando por base o peso do prato recomendado pela Organização Mundial da Saúde - OMS, que é de 550 gramas, em média).

Dicas de como reduzir o desperdício de comida
  • Planejar a compra – Muitas pessoas adquirem uma grande quantidade de determinados produtos sem precisar deles. Além disso, é comum que, ao longo do mês, esqueçam de utilizar alguns alimentos. Por isso, vale sempre a dica: comprar somente o que for necessário.
  • Uso das sobras – Buscar informações sobre como reaproveitar os alimentos que sobram. Um exemplo são as frutas, que podem ser transformadas em compotas. Além disso, verificar quais alimentos podem ser congelados e reaquecidos posteriormente.
  • Armazenar corretamente os alimentos – Seguir as instruções para conservar os alimentos pelo maior tempo possível, observando sempre a data de validade.
  • Calcular as porções – Antes de preparar a refeição, contar o número de pessoas que vão comer para evitar o desperdício.
  • Cuidados com o manuseio – É comum que as pessoas escolham alimentos, especialmente legumes e frutas, apalpando-os. Muitas vezes, a falta de cuidado faz com que o alimento seja devolvido para as gôndolas “machucado”, e a tendência é de não ser mais consumido. Por isso, é importante manejá-los com cautela.

Além dos profissionais do RU e da coordenação do PET, participam da ação 12 discentes envolvidos no Programa. Confira, abaixo, algumas imagens das ações desenvolvidas na campanha:

Fim do conteúdo da página