Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Últimas Notícias > Zootecnista formada pela UFT é destaque nacional em publicação rural
Início do conteúdo da página
reconhecimento

Zootecnista formada pela UFT é destaque nacional em publicação rural

Por Daniel dos Santos | Publicado: Segunda, 11 de Junho de 2018, 11h23 | Última atualização em Segunda, 11 de Junho de 2018, 12h10
// // //

Zootecnista pela Universidade Federal do Tocantins (UFT), Consolata Piastrella foi destaque da revista Globo Rural no mês de maio de 2018. A revista é um dos principais veículos brasileiros voltados às atividades rurais. Na matéria, Consolata é apresentada como exemplo de mulher bem-sucedida profissionalmente no campo.

Consolata foi destaque na capa da Revista Globo Rural no mês de maio (Divulgação)A matéria traz a história de cinco gestoras que estão à frente de grandes fazendas e empresas agropecuárias, tendência apontada pela 7ª Pesquisa da Associação Brasileira de Marketing Rural e Agronegócio (AMBRA). O histórico do levantamento mostra que, em 2013, as mulheres ocupavam postos de comando em apenas 10% das propriedades rurais do país, número que saltou para 31% em 2017.

A empresa de Consolata atua em 86 propriedades, espalhadas nos Estados de Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, São Paulo, Minas Gerais e Tocantins. Das empresas atendidas, 16 são de confinamento. Ao todo, são 400 mil animais vistoriados. Na reportagem da Globo Rural, o trabalho de Consolata é classificado como o “retrato fiel da modernização da pecuária”.

Em entrevista ao portal da Associação Brasileira de Zootecnistas (ABZ), Consolata explica que um dos confinamentos onde atua é o da Família Merola, em Santa Helena de Goiás, a 203 quilômetros de Goiânia. Lá, sob o comando da zootecnista, são engordados 70 mil bois por ano. Há dias em que 600 bois são avaliados pela zootecnista e sua equipe.

Desafios
Consolata entende que para prosperar na profissão, precisou se superar. “Assim foi toda minha trajetória: o desafio de ser mulher em um meio exageradamente de homens, desafio de se manter feminina, o desafio de conseguir ser respeitada, o desafio de aprender tudo porque simplesmente aquele mundo não fazia parte do meu e o desafio de me manter firme mesmo quando nada era a favor”.

Segundo ela, o curso entrou em sua vida como uma aposta. E sempre apostava em si mesma. “A zootecnia me entregou todos os dias tantos desafios, que a paixão nasceu, o amor cresceu e até hoje cada dia vivido em cada período, em cada disciplina, me ajudaram e ajudam. Existe algo dentro de mim que não me permite perder tanto tempo pensando que não vou conseguir. Então, os momentos de ‘vítima’ têm hora marcada. Daí enxugam-se as lágrimas e volto novamente para os trilhos em busca de novos ventos para a sorte voltar”.

A zootecnista acredita que isso a tenha moldado também profissionalmente. “Nunca desistir de uma fazenda, de um produtor que quer fazer diferente, de um objetivo que quero alcançar. Fácil nunca é, mas continuar persistindo, isso é uma sessão fora do comum”.

Zootecnia e empreendedorismo
“A Zootecnia ensina a empreender desde a sua primeira disciplina, quer seja administração rural, ao desenho técnico, a topografia, a curva de nível, as disciplinas de cada produção. Já prestaram atenção de como elas são apresentadas? Como, senão de uma forma que nos mostra claramente a relação custo benefício de tudo. Especialmente, quando parto do pressuposto que o tripé da nossa profissão é baseado na genética, nutrição, e manejo. A zootecnia empreende beneficamente em cada produção”.

registrado em:
marcador(es): Araguaína,Home,EMVZ,Zootecnia
Fim do conteúdo da página