Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > PPHispam > Apresentação
Início do conteúdo da página

Apresentação

Nome: Programa de Pós-Graduação em História das Populações Amazônicas
Sigla: PPHISPAM
Modalidade: Mestrado Profissional
Câmpus: Porto Nacional

O PPHispam tem como objetivo geral ser um instrumento de formação de profissionais que possam desenvolver pesquisas e atuar, com qualidade, na docência, e na elaboração de políticas de preservação da memória e de patrimônios culturais amazônicos. Tem como objetivos específicos formar profissionais capacitados para a compreensão da diversidade histórica e cultural das populações amazônicas, com enfoque nos indígenas, ribeirinhos, quilombolas, sertanejos, assentados e mulheres expostas aos processos de ocupação de terras para construção de barragens e alargamento de fronteiras agrícolas, bem como moradores de periferias em cidades em processo de urbanização da Amazônia, bem como qualificar profissionais que atuam em arquivos, museus, bibliotecas públicas, gestores públicos e docentes da educação básica e superior. Busca ainda a formação de profissionais de História e áreas afins voltados para a crítica e reflexão acerca de questões relevantes sobre as diversidades históricas e culturais de populações das populações amazônicas.
Seu corpo docente é formado pelos seguintes professores: Prof.ª Dr.ª Juliana Ricarte Ferraro; Prof. Dr. Marcelo Santos Rodrigues; Prof. Dr. Marcos A. Arraes; Prof.ª Dr.ª Marina Haizenreder Ertzogue; Prof. Dr. Odair Giraldin; Prof.ª Dr.ª Regina Célia Padovan; Prof.ª Dr.ª Rita de Cássia Guimarães Melo; Prof.ª Dr.ª Temis Gomes Parente; Prof. Dr. Vasni de Almeida.
O currículo do programa tem como ênfase a formação de docentes com capacidade para ensinar histórias nas perspectivas das populações amazônicas com interfaces no contexto global; formar profissionais aptos a atuarem no campo da organização de arquivos, museus, bibliotecas e demais espaços de preservação da memória, nas esferas estadual, municipais, em instituições públicas e privadas; incentivar pesquisas de natureza teórica e prática relacionadas às populações amazônicas; promover a elaboração de materiais didáticos que possibilitem o saber sobre indígenas, quilombolas, populações ribeirinhas, sertanejos, atingidos por barragens, mineradores, missionários, migrantes, vaqueiros, territorialidades religiosas, projetos de integração regional/nacional, processos de empoderamento feminino e questões de gênero.

Fim do conteúdo da página