Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > PPGSSocial > Histórico
Início do conteúdo da página

Histórico

A proposta de curso de pós-graduação stricto sensu – Mestrado Acadêmico em Serviço Social (MASS) – surgiu a partir do corpo docente do curso de Serviço Social da UFT (câmpus de Miracema), através dos trabalhos desenvolvidos pelo Núcleo Docente Estruturante (NDE). Definem-se alguns momentos específicos como referências iniciais dos primeiros diálogos acerca do histórico de formulação da proposta. Embora a proposta tenha se findado em 2017, as primeiras iniciativas em torno do debate sobre a criação de um mestrado vinculado ao curso de Serviço Social se iniciou em 2010, com a vinda da docente da UFRJ Dr.ª Yolanda Guerra para assessoria ao curso e com apoio da Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-graduação (Propesq) da UFT. Naquela época, os trabalhos se direcionaram em concentrar esforços em três direções essenciais: a primeira estava relacionada à titulação dos docentes do curso (com apenas três docentes doutoras na época); a segunda se concentrava na criação e consolidação de grupos de pesquisa e projetos de extensão; e, por fim, a produção docente.

No período de 2010 a 2017, o curso de Serviço Social da UFT investiu na qualificação dos docentes em nível de doutorado, sendo que seis deles se titularam como Doutores e dois novos docentes titulados ingressaram no curso.

Foram criados mais três Grupos de Pesquisa no diretório do CNPq, devidamente aprovados no colegiado de curso, totalizando cinco grupos. Esses grupos de pesquisas, cadastrados no CNPq e vinculados a proposta deste curso de Mestrado, enfatizam um caráter interdisciplinar, pois além de pesquisadores do Serviço Social, também abrangem pesquisadores de cursos de graduação em psicologia, história, ciências sociais, educação física e o direito. Eventos acadêmicos e científicos foram desenvolvidos no decorrer dos dez anos de graduação, envolvendo também os grupos de estudo e pesquisa, dentre os quais podemos destacar: semanas acadêmicas, cursos de supervisão de estágio e cursos de extensão em sintonia com os debates realizados no âmbito do Conselho Federal de Serviço Social (CFESS) e Associação Brasileira de Ensino e Pesquisa em Serviço Social (ABEPSS).

A singular relação entre os docentes do quadro permanente da proposta com o Conselho Regional de Serviço Social (CRESS) 25ª região é um destaque, pois vários docentes fizeram parte da diretoria do referido conselho e foram realizados vários eventos em parceria, como o I Seminário Sociojurídico do Tocantins, o II Encontro Estadual de Supervisores de Estágio em Serviço Social e as Semanas de Serviço Social Integradas, dentre outros. Além disso, o curso de graduação conta com um Programa de Extensão intitulado “Assessoria em Serviço Social aos movimentos sociais: contribuições para a participação da sociedade nas transformações societárias”, que tem por objetivo abarcar os projetos de extensão vinculados aos grupos de pesquisa, no sentido de articular o ensino (através do estágio supervisionado), a pesquisa e a extensão.

Para fortalecer a pesquisa acadêmica e científica nas áreas da graduação, pós-graduação lato sensu e do exercício profissional no âmbito regional, o curso de Serviço Social da UFT se concentra na realização anual de evento científico em comemoração ao dia do assistente social (15 de maio), com os debates realizados no país pelo conjunto CFESS/CRESS, além das semanas acadêmicas integradas com os cursos de graduação em pedagogia, psicologia e educação física. Deve-se destacar o envolvimento do corpo docente nos fóruns, conferências, espaços de discussões, conselhos e eventos profissionais, promovendo inclusive a multiplicação e a descentralização desses eventos. Entre os eventos profissionais se destacam: as oficinas regionais da ABEPSS, a ABEPSS itinerante, os encontros regionais e nacionais, destacando-se que no ano de 2012 a UFT sediou o 41º encontro CFESS/CRESS, como estratégia política de consolidação da formação pública em Serviço Social na Região Norte.

O perfil do corpo docente do curso de Serviço Social da UFT é bastante jovem e são majoritariamente oriundos de outras regiões do país, em função da ausência de formação em Serviço Social em nível de mestrado no estado do Tocantins. É importante destacar que todos estão no regime de estabilidade contratual e em dedicação exclusiva.

Para consolidar as pesquisas a partir da pós-graduação, em 2016 uma comissão de docentes elaborou o projeto de especialização lato sensu sob o título “Serviço Social e Política Social” (Resolução CONSEPE nº 03 de 22 de março de 2017). Trata-se de uma especialização pública e gratuita, com duração de 18 meses, composta em sua maioria por um quadro de professores doutores. A seleção dos estudantes se deu via edital público com critérios de acesso relacionado à produção intelectual e à experiência profissional, restando à composição de uma turma com 31 estudantes. No decorrer do processo seletivo houve uma considerável procura, em função da demanda que não é atendida no estado, no que concerne à oferta de cursos de pós-graduação lato sensu gratuitos na área de Serviço Social. A especialização busca fortalecer a pesquisa e a produção do conhecimento sobre a profissão e as políticas sociais no estado do Tocantins, em especial a qualificação dos profissionais que estão diretamente envolvidos na elaboração, gestão, avaliação e execução das políticas sociais setoriais, tais como: saúde, previdência, assistência social, sociojurídico, educação, cultura entre outras. Do ponto de vista interdisciplinar, a especialização lato sensu em Serviço Social e Política Social privilegia o debate e a inserção de outras profissões e áreas do conhecimento que atuam no âmbito das políticas sociais.

Apesar do curso de Serviço Social da UFT ser relativamente recente, constituiu-se em referência de formação no Estado, por desenvolver de forma sistemática atividades de ensino, pesquisa e extensão, que direciona esforços no sentido de contribuir com a produção de conhecimento na área de Serviço Social, na particularidade regional, tendo como parâmetro a concentração de estudos e pesquisas nos três núcleos fundantes, conforme ABEPSS: Núcleos de Fundamentos Teórico-Metodológicos da Vida Social; Núcleo de Fundamentos da Formação Sócio-Histórica da Sociedade Brasileira; Núcleo de Fundamentos do Trabalho Profissional.

Nessa direção, o Mestrado Acadêmico em Serviço Social busca o aprimoramento profissional e o aprofundamento em elementos da teoria social crítica, frente à realidade social, visando à sistematização da prática e a produção do conhecimento no contexto regional. Assim sendo, coadunam-se com a formação de docentes, pesquisadores e a investigação em Serviço Social, tendo como eixo articulador a questão social e os direitos sociais.

Assim, o Mestrado se estrutura em torno da teoria social crítica (designação que se refere à tradição teórica marxista). A direção social e política busca a consonância com o Projeto Ético Político da profissão e apoia-se no desenvolvimento das competências teórico-metodológica, ético-política e técnico-operativa, reconhecendo que a intervenção profissional está voltada para os processos sociais e demandas emergentes, além de demonstrar capacidade de análise de conjuntura institucional e de correlações de forças presentes na contemporaneidade numa perspectiva de totalidade social (YAZBEK, 2006). Compartilha-se da defesa do pluralismo enquanto terreno de debate de ideias, de construção do conhecimento, de afirmação do projeto ético-político e de respeito à hegemonia conquistada.

Enfim, o Mestrado em Serviço Social evidencia a consolidação de uma direção em consonância com as “[...] matrizes teóricas e metodológicas compatíveis com a ruptura com o conservadorismo profissional, de influências nitidamente críticas, destacadamente as inspiradas na tradição marxista” (NETTO, 2009, p. 152).

Fim do conteúdo da página
-->