Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Medicina (Araguaína) > Disciplinas > Ensino > Cursos de Graduação > História - Bacharelado - Araguaína
Início do conteúdo da página

História - Bacharelado - Araguaína

Dados Gerais sobre o Curso
Local: Câmpus Universitário de Araguaína
Formação: Bacharelado
Criação: Resolução CONSEPE nº 48 de 11/12/2009.
Autorização: Portaria MEC nº 407 de 11/10/2011 – DOU de 14/10/2011, S.1, p. 18.
Reconhecimento: em processo junto ao MEC.
Objetivos do curso

O Curso de Bacharelado em História deve ter como objetivo primeiro a formação de profissionais capazes de fazer uma leitura crítica da realidade social, econômica, política e cultural local e global, bem como interferir nessa realidade a fim de transformá-la. E a isto, seguem outros objetivos:

  • Formar pesquisadores preocupados com as questões sociais, políticas e culturais que interferem na realidade social;
  • Propiciar debates sobre a realidade sócio-econômica-cultural da região para os profissionais que atuam em diversas áreas, inclusive no planejamento de Políticas Públicas;
  • Consolidar o curso para possibilitar a implantação de cursos de Pós-Graduação Stricto Sensu em História;
  • Propiciar o diálogo com os demais cursos da UFT, principalmente àqueles da área de Ciências Humanas e Sociais;
  • Estabelecer contatos efetivos com os demais cursos das regiões Norte e Nordeste do país, objetivando a elevação do debate acadêmico sobre os temas relacionados a essas regiões.
Perfil e campo de atuação do profissional formado em História

Conforme o Parecer CNE/CES 492/2001 “o graduado em História deverá estar capacitado ao exercício do trabalho de Historiador, em todas as suas dimensões, o que supõe pleno domínio da natureza do conhecimento histórico e das práticas essenciais de sua produção e difusão. Atendidas estas exigências básicas e conforme as possibilidades, necessidades e interesses das IES, com formação complementar e interdisciplinar, o profissional estará em condições de suprir demandas sociais específicas relativas ao seu campo de conhecimento (magistério em todos os graus, preservação do patrimônio, assessorias a entidades públicas e privadas nos setores culturais, artísticos, turísticos etc)”. O profissional da história deve ter a compreensão de tais habilidades e competências como suporte fundamental para a produção e construção do conhecimento histórico nas suas várias possibilidades de atuação e deve se colocar como um agente do processo educacional compreendendo que a pesquisa deve alimentar o ensino nas suas múltiplas faces. Ademais, esse profissional deve aliar seus conhecimentos ao uso competente das novas tecnologias. O bacharel em História, assim como o licenciado, deve entender que a natureza educativa e social pertence a toda e qualquer dimensão do trabalho do historiador, portanto, os vários espaços de atuação e produção do conhecimento histórico (museus, centros de memória, arquivos, bibliotecas etc.) devem ser utilizados como lugares educativos.

A diversidade de atuação do historiador faz do curso um cabedal de muitas possibilidades, embora seja importante deixar claro que curso algum possua a priori um mercado a comportar imediatamente os egressos. Esse é um intenso processo de mediação que a Universidade deverá exercitar junto às esferas Pública, Privada, Movimentos Sociais, entre outros. Assim, os bacharéis poderão atuar no ensino superior, em institutos de pesquisa, arquivos e museus históricos, em órgãos vinculados à preservação do patrimônio histórico, artístico e cultural entre outros.

registrado em: ,
Fim do conteúdo da página