Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Marcadores > Engenharia de Bioprocessos e Biotecnologia
Início do conteúdo da página

Engenharia de Bioprocessos e Biotecnologia

Alunos da UFT venceram o circuito Startup Tech 2022 na região do Matopiba

Alunos da Universidade Federal do Tocantins (UFT), do Câmpus de Gurupi, estão entre os vencedores do prêmio Startup Tech 2022, uma iniciativa que reconhece boas ideias com destaque para empreendimentos de base tecnológica, com foco na região do Matopiba, que compreende os estados Maranhão, Tocantins, Piauí e Bahia. Na  classificação, os alunos da UFT ficaram em primeiro, segundo e o terceiro lugar - e receberam a Menção Honrosa do circuito, realizado nos dias 21, 22 e 23 de outubro. O evento tinha como tema principal a  proposição de soluções de base tecnológica para a cadeia da alimentação, promovendo uma alimentação segura, acessível e sustentável.

Segundo o professor Aurélio Vaz de Melo, da disciplina de Empreendedorismo, os projetos vencedores demonstram o potencial dos alunos da UFT para o enfrentamento de problemas contemporâneos. "Vale a pena comemorar! O resultado do Startup Tech, é apenas um dos exemplos que temos da capacidade de nossos alunos, tanto na área de empreendedorismo quanto em outras áreas", comemora o professor.

Conheça os projetos vencedores

1º Lugar: Fertilizante e farinha nutritiva de bananas

Cada um dos alunos do primeiro lugar receberam R$ 350,00 (trezentos e cinquenta reais), que foi alcançado pelo grupo "Musa Tech", com projeto de "produção de fertilizante e farinha nutritiva, da banana em estágio avançado de amadurecimento", apresentado pelos alunos Débora Vaz, Henrique Zamignan, Lorena Gualberto, Vanessa Santos, do curso de Engenharia de Bioprocessos e Biotecnologia; junto com Ronábia Thatielly da Silva, do curso de Agronomia, da UFT. "Nossa proposta é evitar o desperdício de bananas maduras, ao reaproveitar os produtos para a produção de biofertilizantes, assim como, de uma farinha de banana para usar na suplementação alimentar infantil", disse Vanessa.

2º Lugar: + Fibras

As alunas Beatriz dos Santos Barbosa Barreto, Iasmim Evangelista da Silva e Isabela Oliveira Bandeira, do curso de Engenharia de Bioprocessos e Biotecnologia, conquistaram os R$ 200,00 (duzentos reais), cada, na posição do segundo lugar, com o projeto: "+ Fibras", que de acordo com as alunas visa auxiliar no enfrentamento do aumento do número de pessoas com doenças crônicas não transmissíveis. "Nossa solução é a criação de um cookie (biscoito) rico em fibras e nutrientes que regula a microbiota intestinal, prevenindo o surgimento de doenças crônicas não transmissíveis", explica Isabela.

3º Lugar: Aluguel de abelhas

Ana Maria Cezario, do curso de Química Ambiental, da UFT, junto com os alunos Ian Dill e Sávio Bispo, ambos do curso de Engenharia Agronômica, do Instituto Federal do Maranhão (IFMA) ; levaram R$ 100,00 (cem reais), cada, pela classificação no terceiro lugar, com o projeto "Agri bee: aluguel de abelhas para polinização assistida". Ana Maria esclarece que a solução apresentada pelo grupo envolve o combate à mortalidade das abelhas, causada pela baixa polinização, e a solução está no aluguel das colmeias na época da florada da  plantação.

Menção Honrosa

A edição contou ainda com a Menção Honrosa, dada à dupla Millena Baltazar de Oliveira, aluna do curso de Engenharia de Bioprocessos e Biotecnologia, da UFT e Ávila Stéfany Mota de Oliveira, do curso de Agronomia do IFMA, com a proposta que auxilia em desafios da produção de mandioca e o acesso dos pequenos agricultores de aderirem às novas tecnologias de produção.

Saiba mais sobre os projetos e as participações em: https://wylinka.org.br/cases/startuptech-leva-empreendedorismo-ao-publico-academico-em-3-estados-brasileiros/

 

 

 

 

 

 

Alunos do Ensino Fundamental e Médio compartilham sonhos em visita ao Câmpus de Gurupi

O Câmpus de Gurupi, da Universidade Federal do Tocantins (UFT), tem recebido crianças e adolescentes de escolas da Educação Básica, para conhecerem as dependências da unidade e ampliarem suas possibilidades e sonhos com o Ensino Superior.
 
Trata-se de uma das ações do projeto de extensão UFT Sem Muros, realizado com a participação de alunos, professores e técnicos dos cursos de graduação em Agronomia, Engenharia de Bioprocessos e Biotecnologia, Engenharia Florestal e Química Ambiental, para divulgar aos futuros universitários as possibilidades e oportunidades que os esperam no Câmpus.
 
Alunos do 5° ano do Ensino Fundamental, da Escola Municipal Divino Ribeiro Borges, do município de Cariri do Tocantins, foram os primeiros a passearem e sonharem com as interações que os esperam em sala de aula, laboratórios e outros espaços educativos. 
 
Além deles, os adolescentes do 3° ano do Ensino Médio, do Colégio Alair Sena Conceição, da cidade de Figueirópolis, receberam o acolhimento de servidores e colegas que mantêm e constroem novas possibilidades para o ingresso deles, em breve.
 
 

Câmpus de Gurupi divulga relatório de avaliação de qualidade da água

Um projeto desenvolvido pelo Núcleo de Análises Químicas e Microbiológicas (NAQM), que conta com professores dos colegiados do curso de Engenharia de Bioprocessos e Biotecnologia e do curso de Química Ambiental, do Câmpus de Gurupi da Universidade Federal do Tocantins (UFT), divulgou o relatório de avaliação da qualidade da água subterrânea que é consumida na Unidade. 
 
O documento envolve um projeto realizado com recursos do Edital Universal UFT  nº 30/2020 e foi apresentado na prestação de contas, junto à Pró-Reitora de Pesquisa, Pós-Graduação e Inovação (Propesq/UFT).
 
 
Entre as ações, a equipe avaliou se a água distribuída à comunidade acadêmica atende aos critérios e padrões de potabilidade e se há necessidade de novas medidas de tratamento e captação de água.
 
Segundo a Comissão, "os resultados das análises demonstraram que as águas destinadas ao consumo humano apresentaram valores condizentes com as diretrizes da Portaria 05/17, do Ministério da Saúde", ao mesmo tempo em que recomenda mais frequência no "monitoramento das concentrações de Cloro Livre".
 
O relatório completo pode ser conferido aqui.
 
Fim do conteúdo da página