Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página

Histórico

Com a criação do Estado do Tocantins pela Constituição Federal de 1988, seguiu-se o processo de criação de uma Universidade para o Estado por um projeto elaborado por equipe de professores da Universidade Federal de Goiás, em fevereiro de 1990. No ano seguinte, pelo decreto nº 252/90 de 21 de fevereiro de 1990, criou-se a Fundação Universidade do Tocantins - UNITINS, por conta da Lei nº 136/90, posteriormente autorizada a funcionar como universidade pelo Decreto Estadual nº 2021/90, e transformada em autarquia em 24 de outubro de 1991, pela Lei nº 326/91, integrando o Sistema Estadual de Ensino.

Inicialmente, constituía-se em 10 campi espalhados pelo estado, agregando Centros de Extensão criados pelo Decreto nº 253, de 27 de dezembro de 1990, nas cidades de Arraias, Tocantinópolis e Gurupi, absorvendo as faculdades isoladas de Porto Nacional e de Araguaína, e implantando Centros em Palmas, Paraíso, Miracema e Gurupi.

No final de 1990, foi criado o curso de Pedagogia em Arraias. Em 15 de março de 1991, foram iniciadas as atividades pedagógicas. Em 1992, teve a sua estrutura curricular aprovada pelo Conselho Estadual do Tocantins.

Os Centros de extensão atendiam unicamente à formação de quadros para o magistério dos demais níveis de ensino. Com a medida provisória nº 106/91, de 22 de agosto, passam a funcionar como Centros integrados, ficando subordinados ao Centro Universitário de Porto Nacional (antes a sede estava em Miracema). Com a Resolução nº 019/93, da Comissão Diretora da UNITINS, os  Centros Integrados foram transformados em Centros Universitários.

Em 1996, adequando -se à nova Lei de Diretrizes a Bases, as Medidas Provisórias nº 872/96, 873/96 e 874/96 extinguiram a autarquia, criando a Fundação Universidade do Tocantins, instituição pública, não estatal, de direito privado, mas não particular, que teve sua implantação em 1997.

Pela Lei nº 10.032, de 23 de outubro de 2000, institui-se a criação da Universidade Federal do Tocantins – UFT, através do processo de encampação dos cursos da Universidade do Tocantins - UNITINS. Pelo decreto nº 4.279, de 21 de junho de 2002, fica a cargo da Fundação Universidade de Brasília a responsabilidade de, no prazo de um ano, organizar a implantação da UFT. Através de um acordo firmado em 17 de julho de 2002, entre UFT, o Estado do Tocantins e a UNITINS, o processo de federalização começa a ser efetivado.

A Faculdade de Educação, Ciências e Letras de Araguaína – FACILA, desde sua implantação, teve como sede a cidade de Araguaína, na época, a quarta maior cidade do estado de Goiás.  A instituição foi criada pelo Governador de Goiás, Íris Rezende Machado, sob forma de autarquia e jurisdicionada à Secretaria da Educação, por meio do Decreto número 2.413, de 02 de outubro de 1984. A autorização de seu funcionamento deu-se pelo Conselho Estadual de Educação de Goiás, através da Resolução número 030, de 21 de fevereiro de 1985. Em seguida, através do Decreto número 91.507, de 05 de agosto de 1985, autorizada pelo Presidente da República, José Sarney, teve início o funcionamento dos cursos de Licenciatura plena em Letras, História e Geografia; Licenciatura curta em Ciências. Assim, inicialmente, a mantedora dessa Instituição Superior de Ensino foi o Estado de Goiás.

Como FACILA, o curso de Letras iniciou suas atividades em 12 abril de 1985, em um prédio cedido pela Secretaria de Educação do Estado de Goiás, situado à Rua Humberto de Campos, número 508, Bairro São João, onde funciona até o presente momento. Em 1989 este patrimônio foi doado à Faculdade que, a partir de então, passou a funcionar em sede própria. Desde sua origem, o curso recebeu autorização para habilitar professores em Português e Inglês, habilitações que são mantidas até o momento. 

Pela Lei nº 10.032, de 23 de outubro de 2000, institui-se a criação da Universidade Federal do Tocantins – UFT, através do processo de encampação dos cursos da Universidade do Tocantins - UNITINS.

Fim do conteúdo da página