Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Agronomia > Apresentação
Início do conteúdo da página

Apresentação

Dados Gerais sobre o Curso
Local: Câmpus de Gurupi
Formação: Bacharelado
Criação: Parecer CESu/CEE nº 118/91, de 19/12/1991.
Autorização: Decreto Federal de 20/04/1993 – DOU de 22/04/1993, Seção 1, p. 5164.
Reconhecimento: Decreto Estadual nº 632, de 15/07/1998 – DOE de 15/07/1998, p. 12333.
Renovação de Reconhecimento:
  1. Decreto Estadual nº 1.844, de 04/09/2003-DOE de 15/09/2003;
  2. Portaria MEC nº 588 de 06/09/2006-DOU de 12/09/2006, S.1, p. 18;
  3. Portaria MEC nº 311 de 02/08/2011, S.1, p. 21;
  4. Portaria MEC nº 1 de 06/01/2012-DOU de 09/01/2012, S.1, p.19.
Objetivos do curso

Proporcionar ao egresso do curso de Agronomia da UFT os conhecimentos, habilidades e atitudes que lhe possibilitem diagnosticar e analisar os processos agrários e ambientais, de modo a poder atuar no planejamento e gerenciamento, tanto no nível da unidade de produção, como fora dela, em consonância com as condições técnicas, ambientais, sócio-econômicas e culturais da sociedade em geral.

Perfil e campo de atuação do profissional em formado em Agronomia:

O curso de Agronomia deve ensejar como perfil

  • sólida formação científica e profissional geral que possibilite absorver e desenvolver tecnologia;
  • capacidade crítica e criativa na identificação e resolução de problemas, considerando seus aspectos políticos, econômicos, sociais, ambientais e culturais, com visão ética e humanística, em atendimento às demandas da sociedade;
  • compreensão e tradução das necessidades de indivíduos, grupos sociais e comunidade, com relação aos problemas tecnológicos, socioeconômicos, gerenciais e organizativos, bem como utilização racional dos recursos disponíveis, além da conservação do equilíbrio do ambiente; e
  • capacidade de adaptação, de modo flexível, crítico e criativo, às novas situações.

O Agrônomo poderá atuar:

  • em diversas áreas de pesquisa científica, ensino e extensão, em instituições públicas e privadas, bem como ser profissional autônomo;
  • nas áreas de ensino, pesquisa e extensão empregando tecnologias avançadas no setor agropecuário;
  • na resolução de problemas identificados, propor soluções e inovações a partir das necessidades locais, regional e nacional;
  • em todos os setores da agropecuária, propondo políticas de desenvolvimento, visando uma atividade sustentável em qualquer região que desenvolver seu trabalho profissional.
Fim do conteúdo da página
-->