Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Notícias > Solenidades nos câmpus relembram trajetória e legado de Isabel Auler
Início do conteúdo da página
HOMENAGENS PÓSTUMAS

Solenidades nos câmpus relembram trajetória e legado de Isabel Auler

Por Samuel Lima | Publicado: Quarta, 02 de Maio de 2018, 14h55 | Última atualização em Quinta, 10 de Maio de 2018, 08h53

Padre Luciano Zilli destacou legado deixado por Isabel Auler (Foto: Samuel Lima/Dicom)Padre Luciano Zilli destacou legado deixado por Isabel Auler (Foto: Samuel Lima/Dicom)Celebrações em todos os câmpus relembraram nesta quarta-feira (02), a trajetória e o legado deixado pela ex-reitora da UFT, professora Isabel Auler, que morreu há um ano (em 1º de maio de 2017) devido a complicações  na saúde que vinha tratando desde o início de 2017. No Câmpus de Arraias a solenidade ocorrerá à noite, a partir das 20h30,  no hall do prédio 3P.

Em Palmas, docentes, técnicos administrativos, alunos de graduação e pós-graduação participaram da celebração no auditório do Centro Universitário Integrado de Ciência, Cultura e Arte (Cuica), onde também estiveram o reitor Luís Eduardo Bovolato, a vice-reitora Ana Lúcia de Medeiros, pró-reitores, diretores e coordenadores de curso, amigos e familiares de Isabel Auler.

As partes da cerimônia, iniciada às 10h, foram intercaladas com músicas, executadas pelo servidor técnico-administrativo Wellington Teixeira e pelo Coral Em Canto, sob comando do professor Bruno Barreto. Também foi exibido um vídeo com a carreira acadêmica e parte da vida familiar da ex-reitora. A família de Isabel doou toda a biblioteca particular dela para a UFT; o termo foi assinado por Cláudia e entregue a Bovolato durante a cerimônia.

Exemplo e inspiração

Durante as falas, o padre Luciano Zilli (foto), mestrando da UFT e titular da paróquia Santa Terezinha do Menino Jesus, destacou a firmeza e a vontade de Isabel em voltar a trabalhar, quando teve uma melhora no período de tratamento. "Era o senso de compromisso e um testemunho de que não podemos nos dobrar diante das dificuldades, das doenças", frisou o pároco. A vice-reitora lembrou o legado deixado por Isabel Auler, pontuando que aprendeu muito com a ex-reitora. "É nossa eterna reitora. Ela contribuiu muito para o crescimento do ensino superior no Tocantins; uma ótima profissional que continuará nos inspirando", resumiu.

O reitor Bovolato frisou que a solenidade é de reconhecimento por todo o trabalho desenvolvido por ela. "Não só na UFT, mas em relação ao que ela representava e representou para o ensino superior no Tocantins, com sua colaboração e seu envolvimento. É um momento de reflexão para nós, não só pelo legado, mas também para nossa própria atuação, naquilo que fazemos e aquilo que podemos nos espelhar nos bons exemplos que ela deixou", ponderou.

A professora Cláudia Auler, filha da ex-reitora, destacou em sua fala o papel de mãe exercido por Isabel Auler e também de como a história profissional dela fundiu-se à história da própria UFT. "Tive em casa a melhor mãe e na profissão meu melhor exemplo", disse Cláudia, ao lembrar que teve a satisfação de trabalhar junto à mãe, na Universidade. Lembrou ainda de uma frase dita por Isabel, quando do seu breve retorno em abril do ano passado, pouco antes de vir a falecer: "A UFT deve formar pessoas capazes de tocar o coração das outras pessoas".

Outros câmpus

As celebrações relembrando o 1º ano da morte de Isabel Auler também ocorreram nos câmpus de Tocantinópolis, Araguaína, Miracema, Porto Nacional e Gurupi, ainda durante a parte da manhã. Já em Arraias a celebração ocorreu na noite dessa quarta-feira.

Em Tocantinópolis, a homenagem foi no hall do bloco de salas de aula. Além da exibição do vídeo da carreira acadêmica de Isabel Auler, houve depoimentos do diretor Nataniel da Vera-Cruz Gonçalves Araújo e da ex-diretora, professora France Rodrigues. Servidores, professores e estudantes também receberam lembranças alusivas à celebração.

Em Araguaína, a homenagem foi realizada junto à comemoração do Dia do Trabalhador, com o objetivo de promover a socialização entre os servidores do Câmpus e homenagear a quem tanto contribuiu para o cumprimento da missão da instituição. O momento foi conduzido pelo diretor do Câmpus, professor José Manoel Sanches da Cruz Ribeiro. "Que o seu exemplo de educadora incansável sirva de combustível para continuarmos a nossa luta em prol de um ensino superior gratuito e de qualidade”, disse o diretor durante a homenagem a Isabel. Também foi exibido o vídeo e distribuídas lembranças aos presentes no evento.

Em Miracema, as homenagens ocorreram no espaço de convivência do Câmpus. Com a participação de alunos, técnicos, professores e funcionários terceirizados foram lidos trechos de frases da professora Isabel Auler e destacada sua trajetória acadêmica e como gestora da instituição. O diretor André Luiz esteve na cerimônia em Palmas e foi representado pelo servidor Euroffran Silva.

Em Porto Nacional a homenagem ocorreu no auditório do Câmpus, denominou-se "Café com Saudade". Contou, à exemplo do que ocorreu em Palmas, com música e relatos de professores e do diretor George França sobre a atuação acadêmica e de gestão de Isabel Auler.

Em Gurupi, a sala 09 do Anfiteatro foi o local escolhido para a homenagem que teve música, exibição do vídeo com a carreira acadêmica da professora Isabel e também uma fala do diretor do Câmpus, professor Gil Rodrigues.

Em Arraias, a homenagem póstuma ocorreu no hall do prédio Integrado com declamação do texto "Mais de 200 dias letivos sem Isabel" pela professora Adriana Demite,  Oficina de Cordas do Curso de Educação do Campo e participação do Cerimonial do Curso de Turismo Patrimonial e Socioambiental.

Confira, abaixo, imagens das homenagens pelos câmpus:

Fim do conteúdo da página