Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Notícias > Centro de Idiomas capacita mestrando com deficiência visual para prova de proficiência
Início do conteúdo da página
INCLUSÃO

Centro de Idiomas capacita mestrando com deficiência visual para prova de proficiência

Por Paulo Teodoro | Supervisão: Samuel Lima | Publicado: Sexta, 23 de Junho de 2017, 12h31 | Última atualização em Sexta, 23 de Junho de 2017, 14h57

Pensando em uma educação inclusiva e equitativa, que permita o acesso ao conhecimento de forma justa e igualitária para todos, o Centro de Idiomas (CI) da Universidade Federal do Tocantins (UFT) vem implementando ações de capacitação para alunos com algum tipo de deficiência visual. O estudante do Programa de Pós-graduação em Educação (PPGE), Euler Rui Barbosa Tavares, foi o primeiro beneficiado desse projeto em nível de pós-graduação.

O discente Tavares e a professora Carmem (Foto: Centro de Idiomas/Divulgação)O discente Tavares e a professora Carmem (Foto: Centro de Idiomas/Divulgação)Além da necessidade do conhecimento de outro idioma diante de um mundo cada vez mais globalizado, a capacitação foi necessária para a realização da prova de proficiência em Espanhol, que é uma exigência para a conclusão da pós-graduação. Segundo a coordenadora do Centro de Idiomas, Thelma Lage, o aluno participou de um curso preparatório de Espanhol tendo o auxílio de uma ledora - pessoa capacitada para realizar leituras para deficientes visuais -, a professora Carmem Moreno Magraner, e a ministração do conteúdo auditivo via audio system. "O aluno realizou o curso de Espanhol completo ofertado pelo Centro de Idiomas, abordando somente a parte auditiva, conforme suas necessidades especiais. Vale ressaltar, que mesmo diante de nossas limitações estruturais, temos dado início ao projeto no que tange aos cursos regulares",  afirma.

A coordenadora ressalta que a ideia é que a iniciativa seja contínua e o Centro de Idiomas esteja preparado para esses novos desafios. "A oferta de língua estrangeira é necessária para despertar na comunidade acadêmica, bem como na comunidade externa, o interesse pelo segundo idioma. E ainda, conscientizá-la de sua importância tanto em nível acadêmico quanto em nível mercadológico, abraçando com fé e coragem os desafios por uma educação inclusiva e igualitária", destaca Thelma.

Mais alunos atendidos
No Câmpus de Araguaína, o Centro de Idiomas atende duas alunas: uma com deficiência visual parcial e outra com deficiência visual total, que é auxiliada por uma professora de Libras vinculada ao Estado. O CI solicitou, junto à escola que a aluna frequenta, a transcrição do livro de Inglês para o braile, a partir do material em formato PDF disponibilizado pela Cambridge UK.

Aliás, a instituição britânica é grande parceira do Centro de Idiomas no fornecimento de materiais de estudo. "Aos alunos com baixa visão, passará a ser disponibilizada uma autorização formal da Cambridge para cópias ampliadas a partir do livro original e ela também fornecerá os arquivos digitais (em formato PDF) do material em questão e os alunos poderão usar esses arquivos em um computador para aumentar o conteúdo na tela", declara a coordenadora do Centro de Idiomas. Os alunos completamente cegos também receberão da Cambridge UK os arquivos digitais, que serão utilizados em computadores com leitor de tela.

registrado em:
Fim do conteúdo da página