Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > CPA > Avaliação Institucional
Início do conteúdo da página

Avaliação Institucional

Avaliação das Instituições da Educação Superior faz parte do processo avaliativo do Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior (Sinaes), instituído pela Lei 10.861 de 14 de abril de 2004. O Sinaes é um sistema de avaliação global e integrada das atividades acadêmicas, composto por uma série de instrumentos complementares:

  • Avaliação das Instituições de Educação Superior
  • Avaliação dos Cursos de Graduação
  • Exame Nacional de Desempenho de Estudantes (Enade)
  • Instrumentos de informação (censo e cadastro)
Autoavaliação – coordenada e executada pela Comissão Própria de Avaliação (CPA) caracteriza-se como um processo de autoconhecimento acerca das ações desenvolvidas no âmbito do ensino, da pesquisa, da extensão e da gestão universitária, relacionando-as com o que está proposto no Plano de Desenvolvimento Institucional (PDI) e no Projeto Pedagógico Institucional (PPI) e refletindo sobre sua organização e gestão acadêmica e administrativa.

 

Avaliação Externa – realizada por comissões designadas pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), tem como referência os padrões de qualidade para a educação superior expressos nos instrumentos de avaliação e os relatórios das autoavaliações.

 

De acordo com a Proposta de Avaliação Institucional Interna da UFT, o processo de autoavaliação institucional é fundamentado nos seguintes princípios

  • Participação – Faz-se necessário que a comunidade universitária participe do processo de elaboração, efetivação, debate e revisão dos resultados para que a universidade como um todo possa visualizar melhorias na Instituição.
  • Solidariedade – A partir do processo de avaliação institucional podemos potencializar ações no sentido de que os câmpus possam obter uma visão de unidade, buscando com isso criar uma teia de solidariedade para o compartilhamento de experiências e solução de problemas, visando à melhoria da Instituição.
  • Globalidade – O processo de avaliação institucional deve tomar a Instituição como um todo, evidenciando a pluralidade e o respeito a suas características, e valorizando a Universidade como uma instituição voltada para os problemas sociais, políticos, econômicos e culturais da sociedade brasileira.
  • Respeito à identidade institucional – É necessário respeito à identidade da Instituição, visualizá-la e localizá-la em seu contexto institucional e social.
  • Não-premiação e não-punição – A avaliação não deve visar a mecanismos de premiação ou de punição. Deve visar à melhoria da Instituição.
Fim do conteúdo da página