Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Gestão > Órgãos Complementares > Comissão Própria de Avaliação (CPA)
Início do conteúdo da página

Comissão Própria de Avaliação (CPA)

Por Portal UFT | Publicado: Terça, 18 de Novembro de 2014, 10h52 | Última atualização em Sexta, 04 de Novembro de 2016, 10h56

A Comissão Própria de Avaliação (CPA) da Universidade Federal do Tocantins (UFT) é um órgão de representação acadêmica e social permanente responsável pelo processo de avaliação interna institucional da Universidade.

Sua finalidade é implementar o processo de autoavaliação (avaliação interna) em caráter institucional e coordená-lo de acordo com as diretrizes, critérios e estratégias estabelecidas pelo Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior (Sinaes) e em consonância com as diretrizes internas, os princípios e critérios definidos pela Universidade, respeitando as especificidades de suas atividades e sua missão institucional. 

A CPA é composta por representantes dos três segmentos que compõem a comunidade universitária – discente, docente e técnico-administrativos – mais representações de egressos da Universidade ou da sociedade civil.

Comissões Setorias de Avaliação (CSAs) – Responsáveis pela avaliação interna institucional de cada câmpus, as CSAs são compostas por um representante docente e um representante discente de cada curso do câmpus, além de um representante técnico-administrativo. Os presidentes das CSAs são os representantes dos câmpus na CPA, sendo que  o  presidente e o vice-presidente das comissões são eleitos dentre os representantes das categorias docente e técnico-administrativa.

Comissão Própria de Avaliação (CPA)

Clarete de Itoz
Presidente

Rodrigo Gouvêa Rodrigues
Vice-presidente

Jacinto Pereira dos Santos
Michelle Matilde Semiguem Lima Trombini Duarte
Representantes da Administração Central

Gilberto Soares da Silva
Representante Técnico-Administrativo do Câmpus de Araguaína

George Leonardo Seabra Coelho
Representante Docente do Câmpus de Arraias

Rodrigo Gouvêa Rodrigues
Representante Técnico-Administrativo do Câmpus de Arraias

Alan Henrique Rios Ferreira
Representante Técnico-Administrativo do Câmpus de Gurupi

Francisco Gonçalves Filho
Representante Docente do Câmpus de Miracema

Maria Barbosa Ribeiro Soares
Representante Técnico-Administrativo do Câmpus de Miracema

Milanez Silva de Souza
Representante Docente do Câmpus de Palmas

Rafael Macedo Dias
Representante Discente do Câmpus de Palmas

Kátia Rose Oliveira de Pinho
Representante Docente do Câmpus de Porto Nacional

Lucas Gabriel dos Santos Oliveira
Representante Discente do Câmpus de Porto Nacional

Joedson Brito dos Santos
Representante Docente do Câmpus de Tocantinópolis

Elvo Araújo de Sousa
Representante Discente do Câmpus de Tocantinópolis

Página em construção.

A Avaliação das Instituições da Educação Superior faz parte do processo avaliativo do Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior (Sinaes), instituído pela Lei 10.861 de 14 de abril de 2004. O Sinaes é um sistema de avaliação global e integrada das atividades acadêmicas, composto por uma série de instrumentos complementares:

  • Avaliação das Instituições de Educação Superior
  • Avaliação dos Cursos de Graduação
  • Exame Nacional de Desempenho de Estudantes (Enade)
  • Instrumentos de informação (censo e cadastro)

A Avaliação Institucional compõe-se de duas modalidades:

Autoavaliação – coordenada e executada pela Comissão Própria de Avaliação (CPA) caracteriza-se como um processo de autoconhecimento acerca das ações desenvolvidas no âmbito do ensino, da pesquisa, da extensão e da gestão universitária, relacionando-as com o que está proposto no Plano de Desenvolvimento Institucional (PDI) e no Projeto Pedagógico Institucional (PPI) e refletindo sobre sua organização e gestão acadêmica e administrativa.

Avaliação Externa – realizada por comissões designadas pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), tem como referência os padrões de qualidade para a educação superior expressos nos instrumentos de avaliação e os relatórios das autoavaliações.

De acordo com a Proposta de Avaliação Institucional Interna da UFT, o processo de autoavaliação institucional é fundamentado nos seguintes princípios

  • Participação – Faz-se necessário que a comunidade universitária participe do processo de elaboração, efetivação, debate e revisão dos resultados para que a universidade como um todo possa visualizar melhorias na Instituição.
  • Solidariedade – A partir do processo de avaliação institucional podemos potencializar ações no sentido de que os câmpus possam obter uma visão de unidade, buscando com isso criar uma teia de solidariedade para o compartilhamento de experiências e solução de problemas, visando à melhoria da Instituição.
  • Globalidade – O processo de avaliação institucional deve tomar a Instituição como um todo, evidenciando a pluralidade e o respeito a suas características, e valorizando a Universidade como uma instituição voltada para os problemas sociais, políticos, econômicos e culturais da sociedade brasileira.
  • Respeito à identidade institucional – É necessário respeito à identidade da Instituição, visualizá-la e localizá-la em seu contexto institucional e social.
  • Não-premiação e não-punição – A avaliação não deve visar a mecanismos de premiação ou de punição. Deve visar à melhoria da Instituição.

Perguntas frequentes

Quem participa da Avaliação Institucional?
Toda a comunidade universitária: alunos, professores e técnicos-administrativos.

Para que serve a Avaliação Institucional?
A Avaliação é um processo de autoconhecimento acerca das ações desenvolvidas no âmbito do ensino, da pesquisa, da extensão e da gestão universitária que aponta as potencialidades e fragilidades da universidade.

Quem coordena a Avaliação Institucional?
A Avaliação é coordenada pela Comissão Própria de Avaliação (CPA), um órgão de representação acadêmica e social composto por membros dos sete câmpus e dos três segmentos da universidade – discentes, docentes e técnicos-administrativos.

O que é feito com o resultado da Avaliação Institucional?
A CPA elabora um Relatório Anual que é apresentado à comunidade universitária e publicado no Portal do MEC como requisito obrigatório para recredenciamento de cursos e reconhecimento de novos cursos.

Em qual o período em que acontece a Avaliação Institucional?
Esta consulta à comunidade universitária deve acontecer a cada dois anos, segundo a Proposta de Avaliação da CPA.

Como posso participar?
O questionário da Avaliação Institucional é disponibilizado na Intranet, no Portal do Professor e no Portal do Aluno. Basta ficar atento aos prazos das coletas de dados e acessar qualquer uma dessas páginas com seu login institucional único.

Histórico

Em outubro de 2003 a UFT iniciou a discussão sobre Avaliação Institucional com a constituição de uma comissão para coordenar o processo de avaliação interna, a Comissão Central de Avaliação da UFT. A comissão foi constituída por um representante docente de cada um dos sete câmpus universitário, dois representantes dos servidores técnico-administrativos e dois representantes dos discentes. Em abril de 2004, foi necessária a adequação à Lei 10.861, com a inserção do representante da sociedade civil para compor a Comissão Própria de Avaliação (CPA).

No ano de 2004, a CPA realizou dois encontros com membros da Comissão Nacional de Avaliação da Educação Superior (Conaes) e com o Diretor de Estatística da Educação Superior do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) sobre os processos para avaliação da UFT. Essas participações auxiliaram na formatação do plano de trabalho e da Proposta de Avaliação Institucional da UFT apresentada à comunidade universitária.

O primeiro documento de autoavaliação da UFT construído ao longo do ano de 2004 expressava o desejo de participação no processo avaliativo da educação superior. Durante as discussões, percebeu-se que a participação deveria ser desenvolvida em dois movimentos: um seria a apresentação de uma proposta de intenções para com o processo de avaliação e regulação da Universidade; e o outro, o próprio processo coletivo de avaliação institucional da Universidade. 

A partir de 2005 a CPA/UFT passou a contar com estrutura física própria e recursos básicos para o desenvolvimento do processo de avaliação. Também neste ano, foi realizado o primeiro Seminário de Avaliação Institucional, com a participação de diretores de câmpus, coordenadores de curso, representantes discentes e técnico-administrativos, e membros das Comissões Setoriais e Avaliação.

Ao longo do ano de 2007, o Relatório Final 2004-2006 foi apresentado à comunidade acadêmica em diferentes momentos e, neste ano, a CPA empenhou-se em elaborar o seu regimento interno, aprovado em reunião do Conselho Universitário (Consuni) em 04 de junho de 2008.

Em agosto de 2008 aconteceu o II Seminário de Avaliação Institucional, com a participação da professora da USP, Sandra Zakia, como palestrante. Este momento de discussão e reflexão apontou falhas e lacunas no Relatório Final de Avaliação Institucional 2004-2006, sinalizando possibilidades para o novo ciclo de avaliação.

No segundo ciclo, de 2007 a 2008, não foi possível a aplicação dos instrumentos de consulta à comunidade universitária em virtude da desarticulação da CPA. O Relatório consistiu na descrição das ações executadas pelas pró-reitorias em comparação com o previsto no Plano de Desenvolvimento Institucional (PDI) e no Projeto Pedagógico Institucional (PPI) aprovados nos Conselhos Superiores da instituição.

No ciclo de 2009 a 2010 foi aplicado questionário de consulta à comunidade universitária, conforme previsto na Proposta de Autoavaliação elaborada pela CPA, o qual contou com a participação de 14% dos discentes, docentes e técnicos-administrativos.
O Relatório Institucional de Avaliação referente ao ano de 2011 também foi elaborado com base nos diagnósticos dos câmpus apresentados pelas Comissões Setoriais e os relatórios das Pró-Reitorias.
 
No ciclo avaliativo 2012, as principais fontes de informação para a elaboração do relatório foram as seguintes: 

a)    relatórios das pró-reitorias e diretorias, com informações sobre as ações planejadas e realizadas em 2012; 
b)    relatórios das Comissões Setoriais de Avaliação, com informações sobre estrutura física, gestão e atividades de ensino, pesquisa e extensão, junto aos cursos de graduação e pós-graduação;
c)    questionário de avaliação institucional aplicado a toda a comunidade universitária com questões referentes a duas dimensões do Sinaes: a dimensão 2 (Ensino, pesquisa e extensão) e a dimensão 7 (Infraestrutura física).

No ciclo do ano de 2013 da autoavaliação, a consulta à comunidade universitária tratou das dimensões 3 do Sinaes (Responsabilidade social), 4 (Comunicação com a sociedade) e 9 (Políticas de atendimento ao estudante), e teve a participação de aproximadamente 10% dos discentes, docentes e técnicos-administrativos. Também foram utilizadas como fontes de informação para a elaboração do relatório os relatórios das pró-reitorias e diretorias, com informações sobre as ações planejadas e realizadas no ano, bem como os relatórios das Comissões Setoriais de Avaliação, com informações sobre estrutura física, gestão e atividades de ensino, pesquisa e extensão dos cursos de graduação e pós-graduação dos diversos câmpus.

Universidade Federal do Tocantins (UFT)
Comissão Própria de Avaliação (CPA)

Endereço:
Universidade Federal do Tocantins (UFT) | Anexo da Reitoria
Avenida LO 01, Quadra 103 Sul, ACSO 01, Conjunto 04, Lote 04, Nº 81
Plano Diretor Sul | Palmas/TO | 77015-028

E-mail: cpa@uft.edu.br
Telefone: (63) 3232-8287
Site: www.uft.edu.br/cpa

Presidente: Clarete de Itoz - clarete@uft.edu.br

 

registrado em:
Fim do conteúdo da página