Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página
MIRACEMA

Curso promove diálogos sobre gênero, sexualidade e relações étnicas

Por Elini Oliveira e Samuel Lima | Publicado: Segunda, 20 de Março de 2017, 15h31 | Última atualização em Segunda, 20 de Março de 2017, 15h31

O Núcleo de Estudos, Pesquisas e Extensão em Sexualidade, Corporalidades e Direito promove o curso de "Diálogos sobre Gênero, Sexualidade e Relações Étnicas"  às terças e quartas-feiras, no Câmpus de Miracema, durante os meses de março, abril e maio. O curso oferta certificado de 40 horas e os interessados ainda podem fazer inscrições nos dias em que ocorrem o curso, que teve início na semana passada.

O próximo encontro do curso está previsto para esta terça e quarta-feira (21 e 22 de março). A participação é aberta para estudantes de graduação e pós-graduação, ativistas de direitos humanos, trabalhadores e gestores de políticas públicas de educação, saúde e assistência social.

Primeiros encontros

Roda de debate do curso de Diálogos sobre Gênero, Sexualidade e Relações Étnicas (Foto - Rodrigo Mamédio/Divulgação)Roda de debate do curso de Diálogos sobre Gênero, Sexualidade e Relações Étnicas (Foto - Rodrigo Mamédio/Divulgação)

A professora Cristina Vianna,  palestrante do curso, destaca a promoção de reflexões sobre os desdobramentos nos campus da saúde, saúde mental, além de educação e assistência social como um dos objetivos das conferências realizadas nos encontros que ocorreram nos dias 14 e 15. "Pretendemos dialogar sobre as sexualidades, considerando políticas públicas e práticas de intervenção, a partir da troca de conhecimentos. Precisamos preparar estudantes e profissionais para atuarem em uma perspectiva de gênero de modo crítico e reflexivo", explica.

Para a acadêmica, Diana Coelho, do curso de Serviço Social, o primeiro dia de curso foi  interessante. "Nestes dois primeiros dias de curso podemos perceber uma aproximação dos acadêmicos com uma temática que ainda gera um certo incomodo na sociedade, muitas vezes porque não conhecem ou até mesmo não participam de discussões desta natureza para compreender melhor sobre a questão de Gênero, Sexualidade e Relações Étnicas" frisou.

registrado em:
marcador(es): Miracema,Home
Fim do conteúdo da página